JONES DOS SANTOS NEVES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NEVES, Jones
Nome Completo: JONES DOS SANTOS NEVES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NEVES, JONES

NEVES, Jones

*interv. ES 1943-1945; sen. ES 1947-1951; gov. ES 1951-1955.

 

Jones dos Santos Neves nasceu em São Mateus (ES) no dia 29 de dezembro de 1901, filho de João dos Santos Neves e de Albina da Silva Neves.

Fez os cursos primário e secundário no Colégio São Vicente de Paula e no Ginásio do Espírito Santo, em seu estado, diplomando-se mais tarde pela Faculdade de Medicina e Farmácia da Universidade do Rio de Janeiro, na capital da República.

No início de 1933 participou da comissão diretora provisória do Partido Social Democrático (PSD) do Espírito Santo, criado com vistas às eleições à Assembléia Nacional Constituinte, convocadas pelo presidente Getúlio Vargas. Este partido, liderado no estado pelo interventor João Punaro Bley na defesa dos interesses da Revolução de 1930, conseguiu eleger a maioria dos representantes do Espírito Santo no pleito de maio de 1933. Em 12 de abril de 1935, o interventor Bley foi eleito governador pela Assembléia Constituinte estadual, empossada em 1934 com poderes para eleger o chefe do Executivo e dois senadores. Com a instalação do Estado Novo pelo presidente Getúlio Vargas em 10 de novembro de 1937, foram extintos os partidos políticos existentes. Em 21 de janeiro de 1943, Jones Neves foi nomeado interventor federal no Espírito Santo, assumindo o cargo no mesmo dia em substituição a Punaro Bley.

Em 10 de outubro de 1945, já em pleno processo de desagregação do Estado Novo, Vargas assinou um decreto antecipando as eleições estaduais para 2 de dezembro daquele ano, juntamente com as federais, e permitindo também que os interventores se candidatassem. Com esse objetivo, Jones Neves exonerou-se do cargo em 27 de outubro sendo substituído por José Rodrigues Sete. No entanto, com a deposição de Getúlio Vargas pelos chefes militares dois dias depois, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), José Linhares, assumiu interinamente a presidência da República e, como primeira medida, revogou o decreto que antecipava as eleições e nomeou novos interventores, quase todos membros do Poder Judiciário.

Em janeiro de 1947, quando o general Eurico Gaspar Dutra já ocupava a presidência da República, foram realizadas eleições suplementares que adicionaram ao Congresso Nacional alguns deputados e um terceiro senador em cada estado com mandato de quatro anos. Jones Neves elegeu-se senador pelo Espírito Santo na legenda do novo PSD, partido de âmbito nacional criado por Getúlio Vargas no início de 1945. Assumindo o mandato em abril de 1947, participou da Comissão de Finanças do Senado e das comissões mistas de Investigação Agrícola e de Leis Complementares. Nesse período, foi também presidente do diretório regional do PSD em seu estado e membro do diretório nacional do partido.

No pleito de outubro de 1950 elegeu-se governador do Espírito Santo na legenda da coligação entre o PSD e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Empossado em 31 de janeiro de 1951, logo após deixar o Senado, traçou em sua administração o Plano de Valorização do estado, fundou a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer e criou numerosas frentes de trabalho. No setor econômico e social, desenvolveu uma política de incentivos fiscais para empreendimentos de porte, como o Moinho de Trigo e a Companhia de Ferro e Aço de Vitória, e criou o Instituto de Bem-Estar Social, responsável pela construção de residências populares. No setor de saúde, construiu e aparelhou os centros de saúde de Vitória, de Cachoeiro do Itapemirim e de mais 30 cidades, além de quatro unidades periféricas, cobrindo praticamente todos os municípios do estado. Com o auxílio do governo federal, construiu o Hospital de Doenças Mentais e iniciou a construção do Hospital das Clínicas, em Maruípe. Através de bolsas de estudo, preparou sanitaristas, enfermeiras, assistentes sociais, nutricionistas, bacteriologistas, venereologistas, psiquiatras e pediatras, mas sua maior obra no setor educacional foi a instalação da Universidade do Espírito Santo em maio de 1954.

O porto de Vitória foi aparelhado em sua administração, com a construção do cais de carvão e com a dragagem da baía de Vitória, e foram também construídas e asfaltadas numerosas estradas e cerca de 3.500 metros de pontes de concreto, inclusive a de Linhares, sobre o rio Doce, inaugurada em julho de 1954. Jones Neves foi também o responsável pela construção da usina hidrelétrica de Rio Bonito. Em janeiro de 1955 deixou o governo do Espírito Santo, sendo substituído por Francisco Lacerda de Aguiar.

Além das atividades políticas que desenvolveu, foi membro do Conselho Técnico de Economia e Finanças do Espírito Santo, presidente do Banco de Crédito Agrícola do Espírito Santo e membro do Instituto Histórico e Geográfico do mesmo estado.

Faleceu no Espírito Santo em 30 de dezembro de 1973.

Foi casado com Alda Magalhães Santos Neves, com quem teve três filhos.

Publicou os livros Discursos (1945), Mensagens (1954), A serviço do Espírito Santo (1954) e O Espírito Santo trabalha e confia (1958).

 

 

FONTES: ARAÚJO, M. Cronologia 1943; CONSULT. MAGALHÃES, B.; Diário do Congresso Nacional; Grande encic. Delta; HIPÓLITO, L. Campanha; NOVAIS, M. História; OLIVEIRA, J. História; POPPINO, R. Federal; SENADO. Relação.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados