JOSE CARALAMPIO DE MENDONCA BRAGA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRAGA, Mendonça
Nome Completo: JOSE CARALAMPIO DE MENDONCA BRAGA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRAGA, MENDONÇA

BRAGA, Mendonça

*magistrado; dep. fed. AL 1951-1959.

 

José Caralâmpio de Mendonça Braga nasceu em Camarajibe (AL) no dia 16 de abril de 1904, filho de Francisco Rodrigues Braga e de Antônia de Mendonça Braga. Seus primos, Antônio Saturnino de Mendonça Júnior e Antônio Saturnino de Mendonça Neto, foram, respectivamente, deputado federal em 1951-1954 e 1956 e 1957; e entre 1979 e 1983.

Cursou o Colégio 15 de Março, em Maceió, e ingressou depois na Faculdade de Direito de Recife, pela qual se diplomou.

Professor de direito penal e civil na Faculdade de Direito de Alagoas, foi delegado auxiliar e chefe de polícia do estado. Foi também procurador dos feitos da Fazenda, juiz de direito, juiz de menores e diretor da Imprensa Oficial de Alagoas. Dirigiu ainda o Jornal de Alagoas.

Em janeiro de 1947, elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa do estado na legenda do Partido Social Democrático (PSD), exercendo a liderança da maioria na Câmara estadual durante seu mandato.

Eleito deputado federal por Alagoas no pleito de outubro de 1950, dessa vez na legenda do Partido Social Trabalhista (PST), assumiu uma cadeira na Câmara Federal em fevereiro de 1951. Durante a legislatura, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Candidato à reeleição em outubro de 1954, obteve apenas uma suplência, na legenda das Oposições Coligadas de Alagoas, coalizão formada pelo PTB, o PSD, o Partido Social Progressista (PSP), o Partido Democrata Cristão (PDC), o Partido Republicano (PR) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB). Contudo, exerceu o mandato durante toda a legislatura, que se estendeu de fevereiro de 1955 a janeiro de 1959.

Novamente candidato à reeleição no pleito de outubro de 1958, dessa vez na legenda da Frente Democrática Trabalhista, coligação do PTB e do PSD com o Partido de Representação Popular (PRP), tornou a ficar na suplência. Não mais retornou à Câmara, após deixá-la em janeiro de 1959.

No ano seguinte foi indicado como representante brasileiro do Instituto Brasileiro do Café (IBC) em Roma (Itália), onde permaneceu até 1962. De volta ao Brasil, tornou-se responsável pelo setor jurídico do Centro de Processamento de Dados do Estado do Rio de Janeiro, em Niterói (RJ). Permaneceu nessa chefia até 1968. Entre julho deste ano e agosto de 1971, integrou o Conselho Administrativo da Defesa Econômica (CADE). Aposentou-se depois que deixou o CADE.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 7 de julho de 1982.

Era casado com Maria Aída Wücherer de Mendonça Braga, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos dep.; CISNEIROS, A. Parlamentares; INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3 e 4).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados