JOSE EDSON BURLAMAQUI DE MIRANDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MIRANDA, Burlamaqui de
Nome Completo: JOSE EDSON BURLAMAQUI DE MIRANDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MIRANDA, BURLAMAQUI DE

MIRANDA, Burlamaqui de

*dep. fed. PA 1963-1967.

 

José Edson Burlamaqui de Miranda nasceu em Altamira (PA) no dia 19 de junho de 1926, filho de José Porfírio de Miranda e de Dóris Burlamaqui de Miranda. Seu pai teve intensa participação política no Pará, tendo sido deputado estadual (1922-1930 e 1947-1951), prefeito de Altamira (1935-1947) e presidente da Assembléia Legislativa em 1950. Seu irmão Newton Burlamaqui de Miranda foi vice-governador do Pará, de Aurélio Correia do Carmo (1961-1964). Seus primos Newton Burlamaqui Barreira foi militar, vice-governador do Pará, de Fernando Guillon (1970 e 1974) e deputado federal (1975-1979); e Edson Burlamaqui Bonna, deputado federal (1971-1979).

José Edson Burlamaqui de Miranda exerceu vários cargos no Banco de Crédito da Amazônia, entre eles o de gerente. Em 1960, iniciou sua carreira política como prefeito de Altamira, e em outubro de 1962 elegeu-se deputado federal pelo Pará na legenda do Partido Social Democrático (PSD) com a maior votação do estado.

Iniciou o mandato em fevereiro de 1963, e com a edição do Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Por essa legenda, candidatou-se a deputado federal em novembro de 1966, conquistando, contudo, apenas uma suplência. Encerrando seu primeiro mandato em janeiro de 1967, não retornou à Câmara. No ano seguinte, em janeiro, tornou-se auditor do Banco da Amazônia S.A., cargo que ocupou até novembro de 1976. Aposentando-se neste último ano, passou a prestar consultoria à empresas, inclusive ao Banco da Amazônia até dezembro de 1978. Ainda neste ano, foi candidato a suplente de senador na chapa lançada pelo MDB. Contudo, na ocasião, foi vitorioso o candidato da Arena, Aluísio Chaves.

Ingressando no Banco do Estado do Pará, entre janeiro de 1983 e agosto de 1986, foi gerente da agência de Brasília, tornando-se em seguida diretor administrativo, cargo que exerceu até março de 1988.

Faleceu em Brasília no dia 30 de novembro de 1990.

Era casado com Maria Raimunda Araújo de Miranda, com quem teve quatro filhos.

Publicou História da capitania do Xingu.

 

FONTES: CÂM. DEP. Anais; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); COUTINHO, A. Brasil; IPC. Relação de parlamentares (1/1/92 a 18/8/98); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (6 e 8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados