JOSE GASPAR DE AFONSECA E SILVA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GASPAR, José
Nome Completo: JOSE GASPAR DE AFONSECA E SILVA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GASPAR, JOSÉ

GASPAR, José

*religioso; arceb. São Paulo 1939-1943.

 

José Gaspar de Afonseca e Silva nasceu em Araxá (MG) no dia 6 de janeiro de 1901, filho de Sebastião Porfírio Afonseca e Silva e de Proselina Porfírio Afonseca e Silva.

Depois de iniciar os estudos em sua cidade natal, transferiu-se para São Paulo, onde concluiu o curso básico e matriculou-se em 1912 no Colégio São Luís de Itu. Em dezembro de 1915 ingressou no Seminário Provincial de São Paulo, recebendo a batina em março de 1917 e a tonsura três anos depois. Ordenou-se em agosto de 1922, recebendo o diaconato em março de 1923 e o presbiterato em agosto seguinte.

Em março de 1924 foi nomeado coadjutor da matriz da Consolação, situada na capital paulista. Era vigário cooperador da cidade em julho desse ano, quando eclodiu o levante comandado pelo general Isidoro Dias Lopes contra o governo de Artur Bernardes. Durante as três semanas em que os rebeldes ocuparam a cidade, padre José Gaspar prestou seus serviços à população civil atingida pelos combates. Viajou em seguida para Roma, onde se doutorou em direito canônico pela Universidade Gregoriana em 1926.

De volta ao Brasil, passou a lecionar direito canônico, teologia moral, egiptologia e história da arte no seminário em que estudara, onde assumiu também as funções de chefe de disciplina e de reitor. Em 1933, tornou-se o primeiro reitor do Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga. Por bula do papa Pio XI, foi sagrado, em abril de 1935, bispo de Barca e auxiliar do arcebispo metropolitano de São Paulo, dom Duarte Leopoldo e Silva. Com o falecimento desse prelado em julho de 1939, dom José Gaspar assumiu suas funções em caráter efetivo.

Durante o período em que esteve à frente da diocese da capital criou 50 novas paróquias, realizou o I Sínodo Diocesano, organizou e foi anfitrião, em 1942, do IV Congresso Eucarístico Nacional, apoiou várias instituições culturais e deu grande impulso à construção da nova catedral de São Paulo, além de incentivar o recrutamento paroquial e o trabalho da Ação Católica, tendo promovido para tanto a Semana de Estudos da Ação Católica. Data também desse período o projeto da basílica de Aparecida do Norte (SP), local de afluência de peregrinos de todo o país.

Membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, do qual foi vice-presidente em 1941, e do Instituto Heráldico e Genealógico de São Paulo, dom José Gaspar faleceu em desastre de avião no dia 22 de agosto de 1943, no Rio de Janeiro.

Escreveu três pastorais famosas: a Pastoral da saudação (1940), A defesa da fé, da moral e da família (1940) e O jogo, a dignidade da família e a defesa do Brasil (1943). Publicou também Oração gratulatória (1942) e Elogio de dom Leme (1943).

A seu respeito foram editados Elogio fúnebre de dom José Gaspar (1943), de dom Paulo de Tarso Campos, In memoriam de dom José Gaspar (1943), do cônego Paulo Rolim Loureiro, Dom José Gaspar (1944), de Tavares Pinhão e Notas biográficas sobre o arcebispo dom José Gaspar (1963), de Alberto Prado Guimarães.

Robert Pechman

 

 

FONTES: BEHAR, E. Vultos; CONF. NAC. BISPOS DO BRASIL; GARDEL, L. Armoiries; Grande encic. portuguesa; REIS, F. Homens.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados