JOSE JANDUI CARNEIRO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARNEIRO, Janduí
Nome Completo: JOSE JANDUI CARNEIRO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CARNEIRO, JANDUÍ

CARNEIRO, Janduí

*const. 1946; dep. fed. PB 1946-1975.

 

José Janduí Carneiro nasceu em Pombal (PB) no dia 20 de julho de 1903, filho de João Vieira Carneiro e de Maria Carvalho Carneiro. Seu irmão, Rui Carneiro, foi deputado federal pela Paraíba de 1935 a 1937, interventor neste estado de 1940 a 1945 e senador, também pela Paraíba, de 1951 a 1977. Seu tio, Daniel Vieira Carneiro, foi deputado federal pelo Ceará de 1921 a 1923 e pela Paraíba de 1927 a 1929. Seu primo, Alcides Vieira Carneiro, foi deputado federal pela Paraíba de 1951 a 1955 e ministro do Superior Tribunal Militar (STM) de 1966 a 1976.

Janduí Carneiro diplomou-se em 1926 pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro, especializando-se em neuropsiquiatria e saúde pública.

De 1930 a 1934 foi prefeito de sua cidade natal. Em 1942 foi nomeado diretor do Departamento de Saúde e secretário do Interior e Segurança Pública da Paraíba pelo interventor Rui Carneiro, seu irmão, funções que exerceu até 1945. Com a desagregação do Estado Novo (1937-1945) e a reconstitucionalização do país, elegeu-se no pleito de dezembro de 1945 deputado à Assembléia Nacional Constituinte pela Paraíba, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Empossado em março de 1946, participou dos trabalhos constituintes e, com a publicação da nova Carta em setembro seguinte, passou a exercer o mandato ordinário. Foi relator do Plano Salte na Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados em 1948. Apresentado pelo presidente Eurico Gaspar Dutra (1946-1951), o plano era uma proposta para resolver os problemas de saúde, alimentação, transporte e energia do país. Em outubro de 1950 elegeu-se deputado federal pela Paraíba na legenda do PSD, assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte. Reeleito em outubro de 1954, apresentou em 1956 o projeto que instituía em lei a Campanha Nacional contra a Lepra. Reeleito nos pleitos de outubro de 1958 e de 1962, tornou-se vice-líder do PSD na Câmara em julho de 1965.

Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (AI-2), editado em 27 de outubro deste mesmo ano, e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), em cuja legenda reelegeu-se sucessivamente em novembro de 1966, de 1970 e de 1974. Durante o exercício de seus mandatos parlamentares foi membro das comissões de Saúde e de Finanças, presidente da Comissão de Orçamento e vice-presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara.

Faleceu no dia 7 de junho de 1975, poucos meses depois de ter assumido o mandato como deputado federal pela oitava vez consecutiva.

Foi casado com Diva Dunshee de Abranches, com quem teve cinco filhos.

Publicou Democratização do uso da medicina no Brasil (1947) e Discursos parlamentares.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (5, 6 e 8); CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; CISNEIROS, A. Parlamentares; Diário do Congresso Nacional; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (9/9/75); NÉRI, S. 16; Perfil (1972); SILVA, G. Constituinte; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados