JOSE RODRIGUES DA COSTA DORIA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DÓRIA, José Rodrigues da Costa
Nome Completo: JOSE RODRIGUES DA COSTA DORIA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DÓRIA, JOSÉ RODRIGUES DA COSTA

DÓRIA, José Rodrigues da Costa

*dep. fed. SE 1897-1908; gov. SE 1908-1911; dep. fed. SE 1918-1920; const. 1934.

 

José Rodrigues da Costa Dória nasceu em Propriá (SE) no dia 25 de junho de 1859, filho de Gustavo Rodrigues da Costa Dória e de Maria Soledade Costa Dória.

Fez seus primeiros estudos no Ateneu Sergipense, em Aracaju, e mais tarde ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia, em Salvador, diplomando-se em 1882. Exerceu a medicina em Laranjeiras (SE) até 1885, quando retornou à faculdade pela qual se formara para ocupar o cargo de professor-adjunto de medicina legal e toxicologia, cadeira da qual chegaria a ser catedrático. Nomeado em 1888 professor da cadeira de patologia médica, assumiu em 1892 a cátedra de botânica e zoologia na mesma faculdade. Com a organização, nessa época, da Faculdade Livre de Direito da Bahia, ocupou também o cargo de professor de medicina legal dessa instituição. Foi eleito conselheiro municipal de Salvador em 1896, e participou também do Conselho Sanitário Superior da Bahia.

Em 1897 elegeu-se deputado federal por Sergipe na legenda do Partido Republicano Conservador, reelegendo-se para o mesmo cargo em 1900, 1903 e 1906. Em julho de 1908 venceu, sem competidores, o pleito para a presidência do estado de Sergipe, sucedendo a Guilherme Campos. Tomou posse em outubro do mesmo ano, permanecendo no cargo até outubro de 1911, quando foi substituído por José de Siqueira Meneses.

Eleito pela oposição, em 1918 voltou a ocupar uma cadeira de deputado federal por seu estado. Quando das eleições presidenciais realizadas em abril de 1919 devido à morte de Francisco de Paula Rodrigues Alves, eleito em outubro do ano anterior, figurou como um dos signatários de manifesto dirigido “aos nossos amigos eleitores sergipanos”, que recomendava o nome de Rui Barbosa para o Executivo federal. Essa candidatura se opunha à de Epitácio Pessoa, que, apoiado em forças políticas regionais, venceu as eleições. Em junho de 1920 terminou seu mandato na Câmara Federal.

Depois da revolução de 1930, em maio de 1933 elegeu-se deputado por Sergipe à Assembléia Nacional Constituinte na legenda Liberdade e Civismo. Assumiu a cadeira em 15 de novembro do mesmo ano, participando dos trabalhos de elaboração da nova Carta Constitucional. O seu mandato encerrou-se em abril de 1935.

Foi sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico da Bahia e sócio correspondente da Academia Nacional de Medicina do Rio de Janeiro.

Faleceu em Salvador no dia 14 de fevereiro de 1938.

Publicou, além de discursos e artigos na imprensa: Das febres intermitentes complicadas do elemento tífico (1882), Afinidades patológicas entre o reumatismo, a gota e o diabetes (1888).

 

FONTES: ABRANCHES, J. Governos; BITTENCOURT, L. Homens 1; BLAKE, A. Dic.; CÂM. DEP. Deputados; GODINHO, V. Constituintes; Grande encic. Delta; GUARANÁ, M. Dic.; WYNNE, J. História.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados