KURIKI, TADASHI

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: KURIKI, Tadashi
Nome Completo: KURIKI, TADASHI

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
KURIKI, TADASHI

KURIKI, Tadashi

*dep. fed. SP 1991-1995.

Tadashi Kuriki nasceu em General Salgado (SP) no dia 11 de junho de 1940, filho de Watal Kuriki e de Chioko Kuriki.

Formado em direito pela Faculdade de Presidente Prudente, no interior paulista, em 1967, comerciário, radialista, despachante, corretor de imóveis e advogado, iniciou carreira política em novembro de 1982, disputando com êxito uma vaga na Câmara Municipal de São Paulo, pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em 1986, conquistou uma cadeira de deputado estadual constituinte pelo PTB, participando das comissões de Finanças e Orçamento, da Ordem Econômica e Social, e de Sistematização. Durante a legislatura, exerceu a presidência da Comissão de Assuntos Municipais e da Comissão de Agricultura.

Vitorioso no pleito de outubro de 1990, sempre pelo PTB, assumiu o mandato de deputado federal em fevereiro do ano seguinte, sendo presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural e da Comissão de Assuntos Municipais. Foi também membro titular da Comissão de Finanças e Orçamento, e suplente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Pouco tempo depois, filiou-se ao Partido da Reconstrução Nacional (PRN), legenda pela qual Fernando Collor de Melo se elegera presidente da República em novembro/dezembro de 1989.

Em setembro de 1992, Kuriki conseguiu a liberação de verbas do Ministério da Educação e Cultura para reforma e construção de escolas e quadras de esporte em 31 municípios de seu reduto eleitoral, em Presidente Prudente.

Na sessão que a Câmara dos Deputados realizou em 29 de setembro de 1992, já filiado ao Partido Progressista Reformador (PPR), votou a favor do impeachment do presidente Fernando Collor, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha, Paulo César Farias. Afastado do cargo logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, sendo efetivado no cargo o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente, desde o dia 2 de outubro.

Ao longo da legislatura de 1991 a 1995, Kuriki votou contra a extinção do voto obrigatório e a favor da criação do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), fonte complementar de recursos destinados à saúde, e pelo Fundo Social de Emergência (FSE), que permitia ao governo gastar até 20% dos recursos vinculados às áreas de saúde e de educação.

Candidato à reeleição em outubro de 1994, pelo PPR, foi incluído na relação dos suplentes e deixou a Câmara dos Deputados ao término da legislatura, em janeiro do ano seguinte. Quatro anos mais tarde, filiado ao Partido Progressista Brasileiro (PPB), resultado da fusão do PPR com o Partido Progressista (PP), disputou uma cadeira na Assembléia Legislativa de São Paulo, sofrendo mais uma derrota.

Casado com Maria Helena Uliam Kuriki, teve quatro filhas.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995, 1995-1999); Estado de S. Paulo (1/9 e 28/9/93, 8/10/98); Folha de S. Paulo (16/9/92, 1/9/93, 18/9/94); Globo (1/9/93); Jornal do Brasil (1/9/93); Perfil parlamentar/IstoÉ (1991); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1998).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados