LINHARES, JOSE ALVES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LINHARES, José Alves
Nome Completo: LINHARES, JOSE ALVES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LINHARES, JOSÉ ALVES

LINHARES, José Alves

*const. 1946; dep. fed. CE 1947-1951.

 

José Alves Linhares nasceu em Fortaleza no dia 9 de maio de 1919, filho de Vicente Alves Linhares e de Edite Caracas Linhares. Seu tio, José Linhares, foi ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) de 1937 a 1956 e, como presidente dessa corte, exerceu a presidência da República de 1945 a 1946, no período entre a deposição de Getúlio Vargas e a posse de Eurico Dutra. Seu outro tio, Francisco Alves Linhares Filho, foi deputado estadual e seu irmão, Marcelo Linhares, tornou-se deputado federal em 1971.

Fez o curso primário no Colégio Santo Antônio Maria Zacaria no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e o secundário no Colégio Castelo Branco em Fortaleza. De volta ao Rio de Janeiro, concluiu o complementar em 1937 na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil.

Em 1938 tornou-se funcionário do Instituto Nacional do Mate, exercendo, entre 1940 e 1941, a chefia de gabinete do presidente desse órgão. Tornou-se, ainda em 1941, oficial do registro civil no Rio de Janeiro (DF). De junho a outubro de 1945 ocupou o cargo de secretário de José Linhares, que, na qualidade de presidente do STF, exercia também na época a presidência do Tribunal Superior Eleitoral. Em novembro seguinte, com a deposição de Vargas por um golpe militar (29/10/1945) e a posse de José Linhares na presidência, tornou-se seu secretário particular.

No pleito de dezembro de 1945 elegeu-se primeiro-suplente de deputado à Assembléia Nacional Constituinte pelo Ceará na legenda do Partido Popular Sindicalista (PPS). Exerceu o mandato de maio a agosto de 1946, e desse ano ao seguinte foi também serventuário da Justiça, exercendo as funções de oficial do Registro Civil das Pessoas Jurídicas. Já após a promulgação da nova Carta (18/9/1946) e a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, voltou a ocupar uma cadeira na Câmara em março de 1947, participando das comissões de Indústria e Comércio e de Transportes e Comunicações. Eleito segundo-suplente de deputado federal por seu estado em outubro de 1950, dessa vez na legenda do Partido Social Progressista (PSP), em janeiro de 1951 deixou a Câmara Federal e não voltou a candidatar-se a cargos públicos eletivos.

Não retornando à política, continuou a se dedicar a atividades de oficial de registro civil com funções de tabelionato na 10ª Circunscrição de Registro Civil, no Méier.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 11 de março de 1985.

Era casado com a professora e historiadora Maria Ieda Leite Linhares, com quem teve dois filhos. Sua esposa foi secretária de Educação do Município do Rio de Janeiro, na gestão de Jamil Haddad (1983) e durante um certo período na gestão de Marcelo Alencar (1983-1986), e secretária de Educação do Estado do Rio de Janeiro no governo de Leonel Brizola (1991-1994), nos anos de 1991 e 1992.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); Diário do Congresso Nacional; GIRÃO, R. Ceará; INF. Maria Ieda Linhares; Jornal do Brasil (17/3/85); SILVA, G. Constituinte; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1 e 2).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados