LISBOA, CLEMENTINO DE ALMEIDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LISBOA, Clementino de Almeida
Nome Completo: LISBOA, CLEMENTINO DE ALMEIDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LISBOA, CLEMENTINO DE ALMEIDA

LISBOA, Clementino de Almeida

*rev. 1930; const. 1934; dep. fed. PA 1935-1937.

 

Clementino de Almeida Lisboa nasceu em Belém no dia 23 de janeiro de 1878, filho de Clementino José Lisboa e de Luísa Amazonas de Almeida Lisboa. Seu avô paterno foi o conselheiro João Caetano Lisboa. Seu tio do lado paterno, João Francisco Lisboa, foi um dos inovadores da historiografia brasileira, e seu tio pelo lado materno, Tito Franco de Almeida, foi jurisconsulto e estadista do Império.

Fez os primeiros estudos no Colégio Americano, em sua cidade natal, seguindo depois para a Europa, onde cursou humanidades em Lisboa e Paris. De volta ao Brasil, bacharelou-se pela Faculdade de Direito de Recife em 1900, obtendo prêmio de viagem por distinção.

Iniciou-se na política atuando na campanha da Reação Republicana, movimento que promoveu, entre 1921 e 1922, a candidatura de Nilo Peçanha à presidência da República em oposição à de Artur Bernardes, afinal eleito em março deste último ano. Em 1926 concorreu à Câmara dos Deputados pelo Pará como candidato avulso oposicionista, não conseguindo eleger-se.

Participou da campanha da Aliança Liberal, movimento político que em 1929 apoiou as candidaturas de Getúlio Vargas e de João Pessoa à presidência e à vice-presidência da República em oposição à chapa situacionista Júlio Prestes-Vital Soares. Embora vencidos no pleito de março de 1930, os aliancistas vieram a coordenar uma revolução que, deflagrada em 3 de outubro desse ano, depôs no dia 24 seguinte o presidente Washington Luís e instaurou novo regime no país. Clementino Lisboa tornou-se secretário da Fazenda do Pará e logo depois secretário-geral do estado no governo do interventor Joaquim Magalhães Cardoso Barata (1930-1935). Nesse cargo, ainda em 1930, substituiu interinamente por breve tempo o interventor federal. Assumiu também a presidência da comissão executiva do Partido Liberal (PL) no Pará.

Exonerou-se do cargo de secretário-geral em 1933 para candidatar-se à Assembléia Nacional Constituinte pelo Pará na legenda do PL, obtendo um mandato nas eleições de maio desse ano. Assumindo sua cadeira em novembro seguinte, foi escolhido terceiro-secretário da Assembléia e participou da Comissão de Polícia, que apresentou parecer no sentido de abreviar os trabalhos da Constituinte, amplamente aprovados em plenário em março de 1934. Com a promulgação da nova Carta (16/7/1934), teve seu mandato prorrogado até maio do ano seguinte, quando se iniciaria nova legislatura ordinária. No pleito de outubro de 1934 reelegeu-se deputado federal pelo Pará na legenda do PL, exercendo o mandato até 10 de novembro de 1937, quando o advento do Estado Novo suprimiu os órgãos legislativos do país.

Foi diretor do Banco da Amazônia em 1949 e tornou-se membro do Instituto dos Advogados e do Instituto Histórico e Geográfico do Pará. Presidiu também o Banco Comercial e Associação Comercial do Pará.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 7 de março de 1957.

Era casado com Dora Chermont Lisboa, com quem teve dois filhos, um dos quais o embaixador Frederico de Chermont Lisboa.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. 1934. Anais; Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação nominal; Câm. Dep. seus componentes; Diário do Congresso Nacional; FUND. GETULIO VARGAS. Cronologia da Assembléia; GODINHO, V. Constituintes; INF. Marcos Lisboa; Personalidades; SILVA, H. 1935.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados