LUIS DE ARAUJO BRAS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRÁS, Luís
Nome Completo: LUIS DE ARAUJO BRAS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRÁS, LUÍS

BRÁS, Luís

*dep. fed. RJ 1967, 1969-1979 e 1982-1983.

 

Luís de Araújo Brás nasceu em Itaocara (RJ) no dia 20 de março de 1921, filho de Manuel Nunes Brás e de Luísa de Araújo Brás.

Advogado, professor e jornalista, foi assessor jurídico da prefeitura e secretário do município de Santo Antônio de Pádua (RJ), além de subprocurador do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.

Como professor, ingressou, em 1952, na Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), instituição à qual dedicaria mais de 40 anos de atuação, ao longo dos quais ocupou por mais de uma vez o cargo de presidente estadual.

Deputado à Assembléia Legislativa do estado do Rio na legenda da União Democrática Nacional (UDN), foi líder da bancada de seu partido e vice-presidente da Assembléia de 1959 a 1967.

Em 1964, foi nomeado secretário estadual de Educação do Rio de Janeiro, cargo no qual permaneceria durante todo o governo Paulo Torres (1964-1966).

Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), em cuja legenda elegeu-se deputado federal pelo estado do Rio em novembro de 1966. Assumiu o mandato na Câmara em 1º de fevereiro de 1967, mas licenciou-se no dia seguinte por ter sido nomeado pelo governador Jeremias Fontes secretário de Educação e Cultura e do Interior e Justiça de seu estado. Exerceu os cargos até janeiro de 1969, e nesse período, integrou o Conselho Estadual de Educação e presidiu a Campanha Nacional de Educandários Gratuitos.

De volta à Câmara (22/1/1969) durante o recesso imposto pelo Ato Institucional nº 5, reelegeu-se em novembro de 1970. Secretário-geral da Arena fluminense e suplente das comissões de Orçamento e de Educação e Cultura, durante a legislatura iniciada em 1971 chegou a vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Vice-líder da Arena a partir de maio de 1973, reelegeu-se novamente em novembro do ano seguinte. A partir de 1975, continuou suplente da Comissão de Educação e Cultura e foi alçado à presidência da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Candidatou-se à reeleição em 1978, ainda pela Arena, contando com o eleitorado do norte fluminense, porém só obteve a primeira suplência, deixando a Câmara em janeiro seguinte. Em maio de 1982, em virtude da renúncia do deputado Hydekel de Freitas, nomeado pelo presidente João Batista Figueiredo prefeito de Duque de Caxias, Luís Brás assumiu o seu lugar na Câmara, exercendo o cargo de deputado federal até o fim do mandato, em janeiro do ano seguinte.

Presidente estadual da CNEC no biênio 1990-1992, nos biênios 1993-1994 e 1995-1996 ocupou a vice-presidência da instituição no Rio de Janeiro.

Aposentou-se como advogado.

Foi casado com Sara Faria Brás, com quem teve cinco filhos, e mais tarde com Lia Faria Brás, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1967-1971, 1971-1975, 1975-1979); CÂM. DEP. Relação nominal; INF. BIOG.; Jornal do Brasil (20/11/78); NÉRI, S. 16; Perfil (1972).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados