LUIS FERNANDO RIBAS CARLI

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARLI, Fernando Ribas
Nome Completo: LUIS FERNANDO RIBAS CARLI

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

CARLI, Fernando Ribas

*dep. fed. PR 1995, 1996-1999.

Luís Fernando Ribas Carli nasceu em Guarapuava (PR) no dia 9 de outubro de 1949, filho de Ivo Carli e de Iná Ribas Carli.

Transferindo-se para Curitiba, iniciou curso de farmácia-bioquímica na Universidade Federal do Paraná em 1970 e diplomou-se quatro anos depois. De volta à cidade natal, entre 1975 e 1994 foi diretor do Laboratório Clínico Santa Clara Sociedade Civil Ltda.

Em 1981 filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e tornou-se secretário-geral do partido em Guarapuava, até 1983. Deixando o PMDB em 1985, no ano seguinte vinculou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em 1988 tornou-se membro do diretório regional do PDT e foi eleito prefeito de Guarapuava. Tomou posse em janeiro do ano seguinte, e em 1990 passou a integrar o diretório estadual do PDT. Deixou a prefeitura em dezembro de 1992. Nesse período, dirigiu também as empresas Camaquã Transporte de Petróleo Ltda. (1981-1994), Guarapuava Diesel Comércio de Derivados de Petróleo, Singá Comércio de Roupas Ltda. (1984-1994), Rubia Indústria e Comércio de Artefatos de Madeira Ltda., Rádio Guairacá de Guarapuava Ltda. e Carli Companhia Ltda. (1987-1994).

Nas eleições de outubro de 1994 foi eleito deputado federal pelo Paraná na legenda do PDT. Tomou posse em fevereiro de 1995, porém no mês seguinte licenciou-se da Câmara para assumir a chefia da Casa Civil no primeiro governo de Jaime Lerner (1995-1999), deixando sua vaga para Alexandre Ceranto. De volta à Câmara em abril de 1996, integrou a Comissão de Finanças e Tributação e tornou-se vice-líder do PDT. Em julho seguinte, ausentou-se da sessão que instituiu a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que sucedeu ao Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), tributo criado para aumentar a arrecadação do Ministério da Saúde. Em fevereiro de 1997, foi contrário à emenda que instituiu a possibilidade de reeleição para os ocupantes de cargos executivos (prefeitos, governadores de estado e presidente da República) e, em novembro, declarou-se favorável ao destaque ao projeto de reforma administrativa do governo federal que instituiu a possibilidade de demissão no serviço público por insuficiência de desempenho ou por excesso de gastos com pessoal. Ainda nesse ano, deixou o PDT para se filiar ao Partido Progressista Brasileiro (PPB), surgido da união do Partido Progressista Reformador (PPR) com o Partido Progressista (PP), e tornou-se membro titular da Comissão de Orçamento da Câmara.

No pleito de outubro de 1998, foi eleito deputado estadual pelo PPB. Ainda na Câmara dos Deputados, em novembro seguinte votou a favor dos destaques da reforma da Previdência que propunham o estabelecimento de um teto para as aposentadorias do funcionalismo público e a adoção dos critérios de idade mínima e de tempo de contribuição na concessão dos benefícios para os trabalhadores da iniciativa privada. Deixou a Câmara em janeiro de 1999, ao término da legislatura. Empossado em fevereiro na Assembleia Legislativa, presidiu a Comissão do Mercosul, foi vice-presidente da Comissão de Segurança Pública e membro das comissões de Orçamento, de Saúde Pública, e de Agricultura, Indústria e Comércio, entre outras. Foi ainda relator da Comissão Especial do Narcotráfico, membro da Comissão Parlamentar de Investigação do Narcotráfico e presidente da Comissão Especial de Investigação das Universidades Estaduais, além de secretário-geral da União de Parlamentares do Mercosul, que passou a presidir no final de 2002.

 Nas eleições de outubro de 2002 reelegeu-se deputado estadual na legenda do PPB com 37.333 votos. Licenciou-se do cargo para concorrer à prefeitura de Guarapuava pelo PPB no pleito de outubro de 2004, no qual se elegeu pela segunda vez prefeito da cidade. Nas eleições municipais de outubro de 2008 reelegeu-se na mesma legenda para o terceiro mandato na prefeitura de Guarapuava, derrotando o candidato do Partido Popular Socialista (PPS), César Silvestre Filho, com 40,5% dos votos válidos.

Casou-se com Ana Rita Slaviero Guimarães Carli, com quem teve dois filhos. Um deles, Francisco Ribas Carli Filho, foi eleito deputado estadual pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em outubro de 2006, mas renunciou ao mandato em 29 de maio de 2009 após ter-se envolvido em acidente automobilístico que teve grande repercussão em todo o país.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Folha de S. Paulo (30/1/1997, 5/2, 29/9, 6/11/1998); Portal Vigilantes da democracia http://www.vigilantesdademocracia.com.br/ acesso 13/10/2009.  

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados