MACHADO, Sibá

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MACHADO, Sibá
Nome Completo: MACHADO, Sibá

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MACHADO, Sibá

MACHADO, Sibá

* sen. AC 2003-2008

 

                Sebastião Machado Oliveira nasceu em 24 de janeiro de 1958 em União (PI).

            Mudou-se para São Paulo em 1978 quando trabalhou como cobrador de ônibus. Pouco depois, transferindo-se para o Pará, empregou-se como agricultor. Filiou-se então ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Prainha (PA), tendo sido ativista de um grupo de jovens da igreja católica, na Prelazia do Xingu, também no Pará.

                    Mudando-se para o Acre em 1986, se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT), passando a trabalhar na construção do partido na região a partir das bases locais da Comissão Pastoral da Terra. Suas atividades políticas se desdobraram na organização do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do estado, filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Em 1991 foi eleito presidente da CUT, cargo para o qual foi re-eleito em 1994, ano em que se candidatou a deputado federal pelo Acre, na legenda do PT, sem sucesso.

                    Em 1996 tentou a prefeitura do município acreano de Plácido de Castro, quando mais uma vez não se elegeu. Dois anos mais tarde, em 1998, nas eleições estaduais, elegeu-se como primeiro suplente de deputado estadual pela legenda do PT do Acre. No ano seguinte foi indicado pelo então governador do estado Jorge Viana (1999-2003) para assumir a Secretaria Executiva de Extensão Rural e Garantia da Produção visando aquecer e subsidiar a agricultura familiar na região.

                Sibá Machado elegeu-se presidente estadual do PT no Acre em 2001 e em 2002 foi indicado como primeiro suplente da candidata do partido ao senado Marina da Silva. Marina elegeu-se então com cerca de 157 mil votos.

                Sibá Machado exerceria o mandato de senador de 4 de fevereiro de 2003 a 14 de maio de 2008, período no qual a senadora Marina da Silva licenciou-se para assumir o Ministério do Meio Ambiente durante o governo Luís Inácio Lula da Silva (2003-2011). Durante este período Machado assumiu a presidência do Conselho de Ética do Senado, quando Renan Calheiros, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB-AL), então presidente daquela Casa foi investigado por quebra de decoro parlamentar, a partir de 6 de junho de 2007. O então relator do processo, Epitácio Cafeteira, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB-MA), inclinou-se pelo arquivamento do caso. A situação de Renan Calheiros, acusado de receber recursos de terceiros para pagamento de contas pessoais, se agravou, porém, perante a pressão da cobertura jornalística e da opinião pública. O relator Cafeteira pediu licença médica por dez dias, o que fez com que Sibá Machado assumisse também a relatoria do Conselho. Após patrocinar uma sucessão de adiamentos, alegando visar o aprofundamento das investigações, Sibá Machado cedeu à pressão da oposição, liderada por senadores do Partido da Social Democracia Braileira (PSDB), e do Democratas (DEM). Siba Machado renunciou da presidência e da vaga no Conselho de Ética, sendo substituído por Leomar Quintanilha (PMDB-TO), aliado de Renan Calheiros.

                Pouco tempo depois de deixar o Senado, em 10 de junho de 2008, com o retorno da titular, Sibá Machado foi nomeado Assessor Especial do Gabinete do Governador do Acre, Binho Marques (2007-2011), do PT. Trabalhou na campanha para a prefeitura de Rio Branco do candidato Raimundo Angelim (PT) que viria a ser eleito no pleito de outubro daquele ano.               

                Siba Machado ocupou paralelamente o cargo de representante de Rondônia no Conselho Administrativo do Consórcio Energia Sustentável do Brasil, que visava gerenciar e fiscalizar a construção da usina de Jirau (RO). Essa nomeação, proposta pelo próprio PT e apoiada pelo senador Valdir Raupp de Matos (PMDB), causou controvérsia. Em primeiro lugar, pelo acúmulo de cargos e salário. Em segundo lugar porque Siba fora nomeado representante de Rondônia mesmo sendo um quadro político de outro estado da Federação. A queixa formal partiu do senador Expedito Júnior, do Partido da República (PR-RO).

                Sibá Machado formou-se em Geografia.

                Casou-se com Rosali Scalabrin, com quem teve dois filhos.

 

 

FONTES: Folha de S.Paulo (online). Disponível em : <http://folha.com.br>. Acesso em : 08 set. 2009; Portal do sen. Sibá Machado. Disponível em : <http://www.senado. gov.br/web/senador/sibamachado/>. Acesso em : 29 maio 2009; Portal do Senado Federal. Disponível em : <http://www6.senado.gov.br>. Acesso em : 29 maio 2009; Portal  Repórter 24 horas. Disponível em : <http://reporter24horas.blogspot.com/2009/ 02/siba-machado-tem-super-salario-no.html>. Acesso em : 29 maio 2009.

ontes: Portal do Senado Federal (http://www6.senado.gov.br, acessado em 29/05/2009), Portal do senador Siba Machado (http://www.senado.gov.br/web/senador/sibamachado/, acessado em 29/05/2009), Portal do Repórter 24 horas (http://reporter24horas.blogspot.com/2009/02/siba-machado-tem-super-salario-no.html, acessado em 29/05/2009) Portal Folha de São Paulo (http://folha.com.br, acessado em 08/09/2009) .

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados