MAGESSI, Marina

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MAGESSI, Marina
Nome Completo: MAGESSI, Marina

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Marina Maggessi

MAGESSI, Marina

*dep. fed. RJ 2007-

 

Marina Terra Magessi de Sousa nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 11 de fevereiro de 1959, filha de Roberto Magessi de Sousa e de Maria de Lourdes de Assis Terra de Sousa. Seu tio-avô Augusto da Cunha Magessi Pereira comandou a 9ª Região Militar, sediada no Mato Grosso, e foi chefe de polícia do Distrito Federal no início do governo do presidente Juscelino Kubitschek (1956-1961).

Cursou o primário no colégio Mata Machado e posteriormente estudou nos colégios Sácre-Coeur de Jésus e ADN, todos localizados na cidade do Rio de Janeiro. Em 1978, ingressou no curso de jornalismo das Faculdades Integradas Hélio Alonso.  No início dos anos 1980 tornou-se funcionária da Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), e em novembro de 1982 filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Em 1990, após ser aprovada em concurso público, ingressou na Polícia Civil do Rio de Janeiro. Como inspetora, trabalhou na 13ª Delegacia Policial (DP), em Copacabana e, mais tarde, na 32ª DP, em Jacarepaguá. Ainda no início dos anos 1990, foi transferida para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE). Durante o período em que trabalhou na DRE participou de operações policiais que resultaram na prisão de traficantes de drogas do Rio de Janeiro, entre eles Ernaldo Pinto de Medeiros, conhecido como “Uê”, e Márcio Nepomuceno dos Santos, vulgo “Marcinho VP”, ambos presos em 1996.

Em 2001, foi convidada pelo chefe da Polícia Civil Álvaro Lins a assumir o comando do serviço de inteligência da DRE. Nessa função, participou em 2002 da prisão do traficante Elias Pereira da Silva, o “Elias Maluco”, acusado do assassinato do jornalista Tim Lopes. Em 2003, novamente convidada por Álvaro Lins, assumiu o comando da Coordenadoria de Informações e Inteligência Policiais (Cinpol). Deixou essa função em agosto de 2005, quando assumiu a chefia da Divisão de Capturas da Polícia Interestadual do Rio de Janeiro (Polinter). Em novembro desse mesmo ano, saiu da Polinter e assumiu novamente a chefia da DRE. 

Em outubro de 2005 deixou o PDT e ingressou no Partido Popular Socialista (PPS), a convite da juíza Denise Frossard. Em junho de 2006 licenciou-se de suas funções na Polícia Civil e, em outubro, foi eleita deputada federal pelo estado do Rio de Janeiro nessa legenda. Empossada em fevereiro de 2007, ocupou a primeira vice-presidência da Comissão Permanente de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, foi titular da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, participou da comissão parlamentar de inquérito (CPI) criada para investigar escutas telefônicas clandestinas e foi suplente da CPI organizada para apurar a violência urbana. Apresentou também dois projetos de lei: o primeiro proibia o uso de dependências da Polícia Civil para custodiar presos, e o segundo propunha modificação no Código Penal com o objetivo de permitir a castração química de pedófilos reincidentes.

Em 2009, recebeu o prêmio de Destaque Nacional em Desenvolvimento Social, concedido pelo Instituto Ambiental Biosfera pelo apoio a projetos e iniciativas direcionadas ao desenvolvimento social do país.

  Publicou a autobiografia Dura na queda (2008).

 

FONTES: MAGGESSI, M. Dura na queda; Portal da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Disponível em : <http://www.alerj.rj.gov.br>; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www2.camara.gov.br>; Portal da dep. fed. Marina Maggessi. Disponível em : <http://www.marinamaggessi.com>; Portal do PPS. Disponível em : <http://portal.pps.org.br>; Portal do TSE. Disponível em : <http://www.tse.gov.br/ internet/index.html>; Portal Políticos do Brasil. Disponível em : <http://www.politicos dobrasil.com.br>.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados