Carlos Humberto Mannato

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MANATO, Carlos
Nome Completo: Carlos Humberto Mannato

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DOSSIÊ LELO COIMBRA

MANNATO, Carlos

* dep. fed. ES 2003-

  

                Carlos Humberto Mannato nasceu em Alegre (ES), no dia 07 de agosto de 1957, filho de Hélio José Mannato e Thereza Buteri Mannato.

                Médico ginecologista pós-graduado em Medicina do Trabalho, em Colposcopia e em Administração Hospitalar, atuou em diversas instituições de saúde antes de ingressar na carreira política. Em 1987, ano em que se tornou membro do Sindicato dos Médicos e da Associação Médica capixabas, passou a integrar o corpo docente da Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (ES) e foi médico do Instituto Estadual de Saúde Pública. De 1989 a 1991 foi Diretor Clínico do Hospital Dorio Silva, na cidade da Serra (ES). Do mesmo hospital foi Diretor-Geral entre 1992 e 1993, ano em que se tornou Diretor da Rede Hospitalar da Prefeitura Municipal da Serra. Em 1994 atuou como membro do Conselho Municipal de Saúde da cidade. Nesse mesmo ano filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), além de ter assumido cargo de diretoria na Clínica do Hospital Metropolitano em Vitória, instituição da qual também foi Diretor-Presidente entre 1997 e 2000.

                Em 2001 filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT) e passou a integrar o  Diretório Municipal do PDT serrano. Nesse mesmo ano começou a atuar como Secretário Municipal de Serviços da prefeitura da Serra, cargo em que permaneceu até 2002, quando se candidatou a deputado federal, sendo eleito com 56.219 votos. Em 2003, quando foi escolhido vice-líder de seu partido, tomou posse na Câmara dos Deputados, onde passou a integrar a chamada “bancada evangélica”. No decorrer do ano atuou também como titular da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou as atividades da Centralização de Serviços dos Bancos S/A (SERASA) e concluiu não ter havido ilegalidade nas ações da empresa.  Além disso, integrou a comissão especial criada para analisar projeto de emenda constitucional (PEC) que propunha a coincidência de mandatos de prefeitos e vereadores com os de outros cargos eletivos.

                Em abril de 2004 tornou-se membro da CPI que investigou episódios de tráfico de órgãos humanos. Após seis meses de inquérito a comissão parlamentar decidiu pelo pedido de indiciamento de 30 pessoas acusadas de participação em quadrilhas internacionais de tráfico de órgãos. O relatório produzido pela CPI revelou a falta de condições para realização de transplantes de órgãos e apontou a negligência das leis como a principal causa desse problema no Brasil.

                Em 2005 foi reeleito vice-líder do PDT e tornou-se titular da comissão permanente de Seguridade Social e Família na Câmara. Em maio passou a presidir comissão especial destinada a proferir parecer sobre a PEC criada para evitar o nepotismo no serviço público.

                No pleito de outubro de 2006 candidatou-se a novo mandato na Câmara e foi reeleito, com 52.363 votos. Ao tomar posse do segundo mandato, em fevereiro de 2007, tornou-se titular de outras duas comissões permanentes: Finanças e Tributação, e  Fiscalização Financeira e Controle. Em abril de 2008 tornou-se membro da comissão especial que analisou e aprovou para votação em plenário o texto-base de projeto de reforma tributária.

 

Luciana Pinheiro

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados (http://www2.camara.gov.br/; acessado em 29/01/2009); Portal Globo (http://g1.globo.com/Noticias, acessado em 02/02/2009); Portal do Jornal Correio do Brasil (http://www.correiodobrasil.com.br/; acessado em 01/02/2009); Portal do Jornal Folha de São Paulo (http://www.folha.uol.com.br/; acessado em 02/02/2009); Portal do Jornal O Globo (http://oglobo.globo.com/; acessado em 02/02/2009); Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo                     (http://www.tre-es.gov.br/; acessado em 01/02/2009).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados