MANUEL DA SILVA COSTA JUNIOR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: COSTA JÚNIOR, Manuel
Nome Completo: MANUEL DA SILVA COSTA JUNIOR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
COSTA JÚNIOR, Manuel

COSTA JÚNIOR, Manuel

* dep. fed. MG 1983-1987.

 

Manuel da Silva Costa Júnior nasceu em Itanhandu (MG) em 25 de maio de 1945, filho de Manuel da Silva Costa e de Marielisa Pinto Costa. Seu pai foi deputado estadual de Minas Gerais (1951-1955 e 1959-1975).

Administrador rural e consultor em planejamento regional, elegeu-se deputado federal pelo seu estado na legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), em novembro de 1982.

Em 25 de abril de 1984, esteve ausente na votação da emenda Dante de Oliveira, que propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve o número de votos indispensáveis à sua aprovação - faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado Federal – a sucessão presidencial foi mais uma vez decidida por via indireta. No Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Costa Júnior votou em Tancredo Neves, candidato da oposição, lançado pela Aliança Democrática, coligação do PMDB com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS), abrigada na Frente Liberal. Eleito primeiro presidente da República civil desde a instauração do regime militar, em abril de 1964, Tancredo substituiria o general João Batista de Figueiredo (1979-1985), mas ficou gravemente doente e não chegou a tomar posse. Em seu lugar assumiu interinamente o vice José Sarney, em 15 de março, depois efetivado em virtude da morte do titular, no dia 21 de abril.

Integrante da chamada “esquerda independente” do PMDB, em meados de 1985 Costa Júnior apresentou emenda que ampliava o prazo de desincompatibilização dos detentores de cargos públicos executivos que pretendessem disputar as eleições de 1986. No caso de ministros e governadores, o prazo de cinco meses seria ampliado para um ano. A emenda sofreu forte oposição de governadores e parlamentares e acabou rejeitada.

Suplente da Comissão de Agricultura e Política Rural, no início de 1986 pregou o rompimento do PMDB com José Sarney, criticando a ambivalência do partido que, sem apoiar de fato o governo, permanecia coligado ao Partido da Frente Liberal (PFL) na chamada Aliança Democrática. Nas eleições de novembro de 1986, candidatou-se a uma cadeira de deputado federal constituinte, mas foi derrotado. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, ao final da legislatura.

Afastado da carreira política, dedicou-se a projetos de turismo ecológico. Em janeiro de 1999, tornou-se secretário de Planejamento de Minas Gerais, no governo de Itamar Franco, recém-empossado no cargo.

Casou-se com Marília Furtado de Andrade, com quem teve uma filha.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Estado de São Paulo (28/2/86); Folha de São Paulo (4/9/85); Globo (26/4/84, 16/1/85); TRIB. REG. ELEIT. MG.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados