MARINHO, Zequinha

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MARINHO, Zequinha
Nome Completo: MARINHO, Zequinha

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Zequinha Marinho

MARINHO, Zequinha

* dep. fed. PA 2003-2007; 2007-2011; 2011-.

 

José da Cruz Marinho nasceu em Araguacema (TO) em 18 de setembro de 1959, filho de Eduardo Marinho de Oliveira e de Carolina da Cruz Marinho.

Trabalhou em Conceição do Araguaia (PA) como técnico em contabilidade da prefeitura de 1977 a 1980 e como bancário do Banco da Amazônia de 1980 a 1996. Graduou-se em pedagogia pela Universidade Estadual do Pará em 1999.

Ingressou na vida política filiando-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT) em 1992, e assumindo a presidência do diretório municipal do partido em Conceição do Araguaia até 1996. Foi deputado estadual no Pará em 1997-1998 e 1999-2002, foi líder do PDT de 1999 a 2000, e em 2001 assumiu a vice-presidência do diretório regional do partido no Pará.

Em 2002 elegeu-se deputado federal na legenda do PDT. Assumiu o mandato na Câmara dos Deputados e fevereiro de 2003 e deixou o PDT para vincular-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Ainda no mesmo ano trocou novamente de partido, passando a integrar o Partido Social Cristão (PSC), do qual foi líder de 2004 e 2005. Nesse último ano ingressou no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), mas retornou em seguida ao PSC. O período de filiação ao PSC, aliado à sua relação expressa com a Assembleia de Deus, franqueou-lhe a inclusão na chamada “bancada evangélica do Congresso”, grupo de parlamentares caracterizado pela defesa de posições e projetos de interesse particular das instituições e dos grupos confessionais autointitulados evangélicos.

Na legislatura 2003-2007, foi segundo vice-presidente da Comissão da Amazônia e Desenvolvimento Regional, e membro das comissões de Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional, e de Finanças e Tributação. Também em 2003, votou a favor da reforma da previdência, patrocinada pelo governo Luís Inácio Lula da Silva (2003-2007). De acordo com matéria publicada pela Folha de S. Paulo em 12 de maio de 2006, foi apontado pela ex-assessora do Ministério da Saúde, Maria da Penha Lino, como um dos deputados federais envolvidos no episódio que ficou conhecido como “Escândalo dos Sanguessugas”, esquema de desvio de dinheiro público destinado à compra de ambulâncias sob investigação desde 2004, data da denúncia que permitiu à Polícia Federal iniciar as investigações. Seu nome não constava, no entanto,  das listas posteriormente divulgadas de parlamentares sob investigação.

Também em 2006, voltou ao PMDB e reelegeu-se deputado federal. Na legislatura que se inaugurou em 2007, participou da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Em outubro desse ano votou pela prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Em 2009, desfiliou-se do PMDB e retornou para o PSC. No ano seguinte, assumiu ainda a vice-presidência da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional.

Concorreu à reeleição no pleito de 2010 e logrou êxito, com 147.615 votos, tendo iniciado novo mandato em Fevereiro de 2011. Foi vice-líder do PSC na Câmara.

Em Dezembro do mesmo ano, uma reportagem do Portal Congresso em Foco apurou a demissão de um assessor do deputado e denunciou um suposto esquema de cobrança sobre os ganhos de funcionários dos gabinetes parlamentares, cujos recursos seriam destinados ao PSC. Em defesa, o deputado alegou tratar-se de prática comum, porém restrita aos filiados ao partido. A abertura de um inquérito foi solicitada pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Casou-se com Júlia Cruz.

 

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br>. Acesso em 14/11/2008 e 07/02/2014; Portal Congresso em Foco. Disponível em: <http://www.congressoemfoco.uol.com.br>. Acesso em 07/02/14; Portal Folha de S. Paulo. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br>. Acesso em 14/11/2008, 08/12/2008; Portal do TRE-PA. Disponível em: <http:www.tre-pa.gov.br>. Acesso em 08/12/2008; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br>. Acesso em 07/02/2014. Portal do Supremo Tribunal Federal. Disponível em: <www.stf.gov.br/?>. Acesso em 07/02/2014.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados