MARIO ALVES MOREIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOREIRA, Mário
Nome Completo: MARIO ALVES MOREIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MOREIRA, MÁRIO

MOREIRA, Mário

*dep. fed. ES 1975-1983.

Mário Alves Moreira nasceu em Itapemirim (ES) no dia 26 de julho de 1938, filho de Odin Moreira Alves e de Paula Peçanha Moreira.

Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito do Espírito Santo em 1962.

Iniciou sua carreira política na Câmara Municipal de sua cidade natal, cumprindo mandato de vereador de 1963 a 1971. No pleito de novembro de 1970 elegeu-se para a Assembléia Legislativa do Espírito Santo na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar vigente no país desde abril de 1964. Assumiu o mandato de deputado estadual em fevereiro de 1971.

No pleito de novembro de 1974 elegeu-se deputado federal pelo Espírito Santo na legenda do MDB. Assumiu o mandato em fevereiro de 1975 após terminar seu período na Assembléia Legislativa capixaba e, nessa legislatura, foi vice-presidente e membro da Comissão de Ciência e Tecnologia, membro da Comissão de Minas e Energia e suplente da Comissão de Transportes da Câmara dos Deputados.

Reeleito em novembro de 1978, sempre na legenda do MDB, com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Nessa legislatura foi mais uma vez vice-presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia e suplente da Comissão de Transportes, respondendo ainda pela suplência das comissões Especial do Código Civil e de Educação e Cultura. Não tendo concorrido no pleito de novembro de 1982, encerrou seu mandato na Câmara dos Deputados em janeiro de 1983.

Ainda em 1983, assumiu a Secretaria de Justiça do governo Gérson Camata (1983-1986), permanecendo no cargo até 1985, quando se tornou chefe de Gabinete da Casa Civil, função que exerceu até 1987. Neste mesmo ano foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCES), no lugar de Gilson Carone.

No ano de 2000 participou do Fórum de debates: tribunais de contas, na Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro, com o objetivo de discutir o aprimoramento do controle externo e interno no Brasil. No final de 2003 foi acusado de participar de um suposto esquema de corrupção junto com outros quatro conselheiros  do Tribunal de Contas do estado, Valci José Ferreira de Souza, Enivaldo Euzébio dos Anjos, Umberto Messias de Souza e Marcos Miranda Madureira. Em maio de 2005, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) em decisão unânime, indeferiu o pedido da Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo (ALES).

Exerceu a função de conselheiro do TCES até 2008, quando se aposentou.

Casou-se com Neusa Belo Moreira, com quem teve dois filhos.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1975-1979 e 1979-1983); INF. BIOG; NÉRI, S. 16; Perfil (1980); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (9); Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo; Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo; Jornal Espírito Santo Hoje (03/06/2006); Século Diário (09/01/2008, 01/02/2008); Superior Tribunal de Justiça.

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados