MARIO TOMAS WHATELY

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: WHATELY, Mário
Nome Completo: MARIO TOMAS WHATELY

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
WHATELY, MÁRIO

WHATELY, Mário

*rev. 1932; const. 1934.

 

Mário Tomás Whately nasceu na cidade de São Paulo no dia 16 de abril de 1885, filho de Tomás Whately e de Estefânia Pereira Barreto Whately.

Realizou os primeiros estudos na Escola Americana e no Mackenzie College, ambos na capital paulista, concluindo os preparatórios em 1904. Ingressou na Escola Politécnica de São Paulo, em cujos gabinetes de química orgânica e mineral trabalhou em 1909 como auxiliar, formando-se em engenharia em dezembro de 1911. No mesmo ano tornou-se engenheiro da Estrada de Ferro Central do Brasil. Em 1915 passou a engenheiro da Diretoria de Obras Públicas da Secretaria de Viação de São Paulo, no governo de Altino Arantes. Ingressou no magistério em 1918, como professor da Escola Politécnica de São Paulo, condição em que permaneceria até 1924, quando fez concurso para professor catedrático. Em 1922 chefiou a comissão encarregada da construção das obras do Centenário da Independência do Brasil.

Durante a Revolução de 1930 foi designado para dirigir os trabalhos de entrincheiramento na fronteira sul do estado de São Paulo, destinados a barrar a marcha dos revolucionários provenientes do Sul do país. Tomou parte ativa na Revolução Constitucionalista, deflagrada em São Paulo em julho de 1932, como major de engenharia da Força Pública do estado. Lutou de Itararé a Bauru, e em seguida retornou à Escola Politécnica para chefiar o Serviço de Material Bélico. O movimento foi, contudo, derrotado em outubro do mesmo ano pelas forças legalistas.

Filiado ao Partido Republicano Paulista (PRP), elegeu-se, em maio de 1933, deputado por São Paulo à Assembléia Nacional Constituinte na legenda da Chapa Única por São Paulo Unido, coligação formada pelo PRP e o Partido Democrático (PD). Empossado em novembro de 1933, participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta (16/7/1934) e a eleição do presidente da República no dia seguinte, teve seu mandato prorrogado até maio de 1935.

Chefe da firma Mário Whately e Cia., localizada em São Paulo, realizou no estado as seguintes obras: construção da estrada de ferro Morro Agudo, do parque do estado, do Instituto Biológico, do emissário de esgoto do rio Tietê, da linha adutora de águas de Santo Amaro a São Paulo, de diversos trechos da estrada de ferro Sorocabana e da primeira packing house no Brasil. Trabalhou também na Companhia de Pavimentação e Obras Públicas de São Paulo.

Colaborou em diversos jornais e revistas de seu estado e do Rio de Janeiro.

Associou-se ao Instituto de Engenheiros Civis da França e à Association Internationale de Ponts et Cherpentes.

Faleceu em 1943.

Foi casado com Ilze R. Whately.

Publicou Estudos técnico-experimentais das condições de resistência da estrutura metálica do viaduto do Chá (1928), Notas sobre o cálculo de tabuleiros de pontes de concreto armado, tendo em conta os movimentos envolventes (1936), Normas para rodovias estaduais (1943) e Plano de financiamento para as obras de melhoramentos e avaliação da rede rodoviária do estado de São Paulo.

 

 

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; ASSEMB. NAC. CONST. 1934. Anais (1); CÂM. DEP. Deputados; Câm. Dep. seus componentes; Gazeta, SP (19/6/58); GODINHO, V. Constituintes; LEITE, A. História; MELO, L. Dic.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados