MATOS, MARIO DE MELO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MATOS, Mário de Melo
Nome Completo: MATOS, MARIO DE MELO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MATOS, Mário de Melo (VERIFICAR)

MATOS, Mário de Melo

* militar;  ch. Depto. Ger. Pess. Ex. 1982-1984; emb. Bras. Paraguai 1984-1986.

               

                Mário de Melo Matos nasceu em no dia 10 de junho de 1919.

                Ingressou na Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal,  em abril de 1938. Foi declarado aspirante a oficial da arma de artilharia em  dezembro de 1940 e em agosto do ano seguinte foi promovido a 2º tenente, passando a 1º tenente em outubro de 1942 e a capitão em junho de 1945.

                Chegou ao oficialato superior, no posto de major, em junho de 1952 e a tenente-coronel em dezembro de 1960. Em agosto de 1965 foi promovido a coronel, passando a general-de-brigada em novembro de 1973 e a general-de-divisão em março de 1978. Em dezembro de 1980, deixou a sub-chefia do Estado- Maior do Exército (EME) para assumir a vice-chefia do mesmo departamento, saindo em novembro do ano seguinte para assumir a chefia do Departamento Geral de Pessoal do Exército, no lugar do general Carlos Xavier de Almeida. Nesse mesmo mês recebeu a patente de general-de-exército, sendo o único artilheiro entre os três generais promovidos ao mais alto posto do Exército nesta ocasião. Deixou a chefia do departamento em agosto de 1984 , sendo substituído por Paulo Campos Paiva.

                Nesse mesmo mês,  assumiu  a embaixada  do Brasil em Assunção, substituindo naquele cargo o general Fernando Belford Bethlem. Com a indicação de Melo de Matos, o governo brasileiro restabeleceu a tradição de manter em Assunção um chefe militar na representação diplomática. No final de 1985,  teve  seu nome citado na lista de torturadores do projeto “Brasil: Nunca Mais”, que apurava as ações dos órgãos de segurança durante o regime militar. Ao ser indagado, o general declarou “é uma acusação falsa e vil, própria da gente com quem eu lidei”.

                Deixou a representação brasileira no Paraguai em  dezembro de 1986, sendo sucedido por Orlando Carbonar.             

                Realizou também os cursos de formação de oficiais de artilharia, de aperfeiçoamento de oficiais, de estado-maior, de comando e estado-maior  e o da Escola Superior de Guerra.

                Foi casado com Lígia de Melo Matos, falecida em março de 1986.

 

FONTES: Estado de São Paulo (21/2/80, 10/12/81, 30/3/84); Jornal do Brasil (25/11/81, 26/11/81, 11/4/84, 24/4/86); MIN. EXERC. Almanaque (1984).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados