MAURICIO MIGUEL NASSER ABRAO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NASSER, Maurício
Nome Completo: MAURICIO MIGUEL NASSER ABRAO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NASSER, MAURÍCIO

NASSER, Maurício

*const. 1987-1988; dep. fed. PR 1987-1991.

 

Maurício Miguel Nasser Abrão nasceu em Andradina (SP) em 15 de novembro de 1952, filho de Miguel Nasser e Naime Abrão Nasser.

Formou-se em contabilidade pela Universidade Estadual do Paraná e em economia pela Faculdade de Estudos Sociais do Paraná, em Curitiba. Associado do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Paraná, em 1980, participou, em 1983, do seminário internacional Marketing, Política e Ação para Melhores Resultados, no Management Center do Brasil, em São Paulo.

Em outubro de 1986, candidatou-se a deputado federal constituinte pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Apesar de estreante na política, obteve a segunda votação do partido — cerca de 95 mil votos — e foi acusado por colegas de partido de ter gastado cinco milhões de dólares na campanha e de ter financiado a construção de um templo em um bairro da periferia curitibana, com a finalidade de ampliar seu eleitorado. Em 18 de dezembro de 1986, na véspera da diplomação dos deputados eleitos, Nasser teve o registro cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, que julgou procedentes as denúncias de abuso do poder econômico apresentadas pelos partidos Democrático Trabalhista (PDT) e da Juventude (PJ). Mas Nasser recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ganhou liminar garantindo o direito de posse como constituinte, em 1º de fevereiro de 1987. O pedido de impugnação da candidatura foi julgado pelo TSE em 28 de agosto de 1988, que confirmou, por unanimidade, sua diplomação, considerando inconsistentes as denúncias apresentadas.

Integrante da Subcomissão da Nacionalidade, da Soberania e das Relações Internacionais, da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher, foi suplente da Subcomissão da Educação, Cultura e Esportes, das comissões da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação.

Votou a favor do rompimento de relações diplomáticas com países com política de discriminação racial, do aborto, da proteção ao trabalho contra demissão sem justa causa, da soberania popular, do voto aos 16 anos, do presidencialismo, da nacionalização do subsolo, do limite de 12% ao ano para os juros reais, do mandato de cinco anos para o presidente José Sarney e da anistia aos micro e pequenos empresários.

Votou contra a pena de morte, a limitação do direito de propriedade privada, o mandado de segurança coletivo, a remuneração 50% superior para o trabalho extra, a jornada semanal de 40 horas, o turno ininterrupto de seis horas, o aviso prévio proporcional, a unicidade sindical, a estatização do sistema financeiro, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária e a desapropriação da propriedade produtiva.

Concorreu à reeleição em outubro de 1990, pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), obtendo a primeira suplência. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1991, no fim da legislatura, voltando a exercer a presidência do Consórcio Nasser, de sua propriedade. Morreu em Curitiba no dia 15 de novembro de 1992.

Não se casou nem deixou descendentes.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Correio Brasiliense (18/1/87); Folha de S. Paulo (19/1/87); Globo (28 e 29/8/87); INF. FAM. MIGUEL NASSER FILHO; Veja (24/12/86).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados