Mílton João Soares Barbosa

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARBOSA, Milton
Nome Completo: Mílton João Soares Barbosa

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BARBOSA, Mílton

*const. 1987-1988; dep. fed. BA 1987-1991, 1992, 1994, 1995, 2000-2007, 2009-2010

 

Mílton João Soares Barbosa nasceu em Itaberaba (BA) no dia 28 de dezembro de 1954, filho de Pedro João Barbosa e de Lurdes Soares Barbosa. Iniciou sua vida política em 1982, filiando-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Cursou direito em Salvador na Universidade Católica até 1984, não chegando, contudo, a diplomar-se.

Elegeu-se deputado federal constituinte em novembro de 1986, tomando posse em fevereiro do ano seguinte, quando tiveram início os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte. Participou dos trabalhos constituintes como membro titular da Subcomissão da Nacionalidade, da Soberania e das Relações Internacionais da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher e, como suplente, da Subcomissão da União, Distrito Federal e Territórios da Comissão da Organização do Estado.

Nas principais votações da Constituinte pronunciou-se contra a limitação do direito de propriedade privada, a jornada de trabalho de 40 horas, o turno ininterrupto de seis horas, a estatização do sistema financeiro, a limitação dos encargos da dívida externa, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária, a anistia aos micro e pequenos empresários e a legalização do jogo do bicho. Foi favorável ao rompimento de relações diplomáticas com países com política de discriminação racial, ao mandado de segurança coletivo, à descriminalização do aborto, à remuneração 50% superior para o trabalho extra, ao aviso prévio proporcional, à soberania popular, ao voto aos 16 anos, ao presidencialismo, à nacionalização do subsolo, ao limite de 12% ao ano para os juros reais e aos cinco anos de mandato para o presidente José Sarney. Não compareceu à votação a respeito da desapropriação da propriedade produtiva e se absteve na votação sobre a pena de morte.

Em 1988 transferiu-se para o Partido da Frente Liberal (PFL). Após a promulgação da nova Carta Constitucional (5 de outubro de 1988), voltou a participar dos trabalhos legislativos ordinários na Câmara dos Deputados.

Candidatou-se à reeleição no pleito de outubro de 1990, mas obteve apenas uma suplência. Contudo, exerceu o mandato de 6 de agosto a 5 de outubro de 1992, no lugar de Eraldo Tinoco, nomeado ministro da Educação do governo Fernando Collor de Melo (1990-1992), de 23 de março a 4 de abril de 1994, em substituição a Valdeck Ornelas, nomeado secretário de estado de Planejamento, Ciência e Tecnologia da Bahia, e de 2 a 31 de janeiro de 1995, novamente no lugar de Eraldo Tinoco, que assumiu a Secretaria Estadual de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia.

Em 1994 e 1998 Mílton Barbosa candidatou-se à Câmara, na legenda do PFL, obtendo suplências nas duas ocasiões. Em função disso, assumiu o mandato em 6 de janeiro de 1999, e entre novembro de 2000 e março de 2002, sendo neste mesmo ano, em outubro, efetivado na legislatura 1999-2003.

Concorreu novamente à Câmara, elegendo-se representante da Bahia, por média, na legenda do PFL, nas eleições de 2002. Tomou posse em fevereiro de 2003.

Transferiu-se para o Partido Social Cristão (PSC) em 2005, e por esta legenda obteve nova suplência de deputado federal nas eleições de 2006. Voltou à Câmara em outubro de 2009, substituindo o deputado Sérgio Brito (PSC-BA), licenciado até Março de 2010, quando Barbosa retornou à suplência.

Nas eleições de 2010 tentou novamente o cargo de deputado federal pelo PSC, mas obteve apenas uma suplência.

Pastor evangélico, foi presbítero e presidente da Sociedade Beneficente Assembléia de Deus de Salvador e diretor do programa radiofônico Cristo no Lar, da Rádio Clube de Salvador.

Casou-se com Lidinéia Santana Barbosa, com quem teve três filhas.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995 e 1995-199); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Jornal do Brasil (23/03/1994); O Globo (10/10/1998); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1998); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.gov.br>.  Acesso em 21/12/2009e 27/08/2014.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados