MOACIR, ANTONIO PEREIRA DA SILVA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOACIR, Antônio Pereira da Silva
Nome Completo: MOACIR, ANTONIO PEREIRA DA SILVA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MOACIR, ANTÔNIO PEREIRA DA SILVA

MOACIR, Antônio Pereira da Silva

*sen. BA 1947-1951.

 

Antônio Pereira da Silva Moacir nasceu em Riacho de Santana (BA) no dia 14 de abril de 1880, filho de João Pereira da Silva e de Maria Amélia Pereira da Silva.

Formou-se em medicina e farmácia pela Faculdade de Medicina e Farmacologia da Bahia em dezembro de 1900, defendendo tese sobre oftalmologia. Durante este curso, foi interno em diversos hospitais, entre os quais o Hospital de Sangue de Canudos, região que, àquela altura, virara palco de um sangrento conflito envolvendo sertanejos, liderados pelo líder messiânico Antônio Conselheiro, e tropas dos governos federal e estadual.

Depois de formado, exerceu medicina geral por cerca de dez anos na região do rio São Francisco, especialmente na cidade de Bom Jesus da Lapa (BA). Por conta deste seu trabalho nesta região, foi eleito deputado estadual, senador estadual e deputado federal em duas ocasiões, durante a Primeira República (1889-1930).

Com a Revolução de 1930, afastou-se da política, só voltando a se dedicar a essa atividade em 1945, após o fim do Estado Novo e a deposição de Getúlio Vargas. Nestes 15 anos de afastamento, Antônio Moacir dedicou-se a atividades comerciais relacionadas com a compra e venda de algodão. Nesta época, chegou a ser o maior comprador do produto no eixo Norte-Nordeste, convertendo-se num grande exportador, principalmente para a Inglaterra. No início da década de 1940 tornou-se presidente da bolsa de mercadorias da Bahia. Ainda na primeira metade desta década, assumiu a Superintendência da Comissão de Abastecimento da Bahia.

Com a redemocratização do país em 1946, Antônio Pereira da Silva Moacir retornou à política, sendo convidado pelo interventor federal na Bahia, general Renato Onório Pinto Aleixo, para organizar o PSD (Partido Social Democrático) neste estado. Neste último ano, tornou-se secretário-geral do PSD da Bahia, cargo que ocuparia até 1948. No pleito suplementar de janeiro de 1947 elegeu-se senador pela Bahia, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Assumiu o mandato em abril do mesmo ano, e durante sua permanência no Senado (até janeiro de 1951) integrou, entre outras, a Comissão de Saúde e foi vice-presidente da comissão especial de inquérito sobre a indústria têxtil.

Candidatou-se a deputado federal pelo mesmo estado no pleito de outubro de 1950, na legenda Coligação Baiana, que reunia o PSD, o Partido de Representação Popular (PRP) e o Partido Social Trabalhista (PST). Conquistando apenas uma suplência, afastou-se da vida parlamentar.

Em 1951 foi convidado pelo então presidente da República, general Eurico Gaspar Dutra (1946-1951), para assumir a presidência do Instituto de Cacau da Bahia. Permaneceu neste cargo até 1955, quando foi afastado por Antônio Balbino, recém-empossado no governo da Bahia. Desta data em diante não mais desempenhou cargos públicos.

Foi ainda membro do conselho consultivo do Banco do Nordeste.

Faleceu em Salvador no dia 5 de dezembro de 1966.

Era casado com Maria Rosa de Moncorvo Moacir, com quem teve uma filha. Seu sogro, Álvaro Tibério de Moncorvo Lima, foi presidente da província da Bahia no Segundo Império.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; INF. Angelita Pereira da Silva Moacir; SENADO. Dados; SENADO. Relação; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados