MOURA, EVANDRO AIRES DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MOURA, Evandro Aires de
Nome Completo: MOURA, EVANDRO AIRES DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MOURA, EVANDRO AIRES DE

MOURA, Evandro Aires de

*dep. fed. CE 1979-1987.

Evandro Aires de Moura nasceu em Piancó (PB) em 18 de junho de 1923, filho de Atilano de Moura Alves e de Anatildes Aires de Moura.

Bacharelou-se pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará em 1951. Iniciou suas atividades profissionais como gerente do Banco do Brasil em Maranguape e Fortaleza. Logo em seguida tornou-se coordenador da política de preços mínimos no Ceará, de 1967 a 1971. Ainda em 1971 foi indicado presidente do Banco do Ceará e, em 1973, eleito diretor da Associação Comercial do Ceará, funções que exerceria até 1975.

Filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instalado em abril de 1964, foi prefeito de Fortaleza entre 1975 e 1978, durante o governo de Adauto Bezerra. Ainda em 1978, aposentou-se como funcionário do Banco do Brasil. Em novembro desse ano, disputou com sucesso uma vaga na Câmara dos Deputados, sendo empossado em fevereiro do ano seguinte, após deixar a prefeitura.

Com o fim do bipartidarismo e a conseqüente reorganização partidária em 29 de novembro de 1979, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), agremiação que sucedeu à Arena. Nessa legislatura foi membro das comissões de Economia, Indústria e Comércio e do Interior, além de relator da Comissão Parlamentar de Inquérito Quatro Rodas. Fez viagem oficial à Alemanha Ocidental, a convite da Fundação Alemã para o Desenvolvimento Internacional, e foi membro da delegação à 67ª Reunião da União Interparlamentar, em Berlim Ocidental, em 1980.

Reeleito em novembro de 1982, foi empossado em fevereiro de 1983. Em 25 de abril de 1984 esteve ausente na sessão de votação da emenda Dante de Oliveira, que restabelecia eleições diretas para presidente da República ainda naquele ano, mas não obteve votação necessária para ser enviada ao Senado. No Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, votou em Tancredo Neves, candidato oposicionista lançado pela Aliança Democrática, formada pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e pela dissidência do PDS reunida na Frente Liberal, que derrotou o candidato pedessista Paulo Maluf. Tancredo não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março.

Em novembro de 1986 tentou reeleger-se pelo Partido da Frente Liberal (PFL), mas obteve apenas uma suplência. Deixou a Câmara em janeiro de 1987, não voltando a disputar cargos públicos. Tornou-se diretor do Banco Industrial e Comercial (BIC Banco) do Ceará, cargo que ocupou até 1993, quando se afastou por problemas de saúde.

Foi membro do Conselho de Economia do Ceará e professor da Escola de Administração da Universidade Federal do estado.

Faleceu em fevereiro de 2004.

Era casado com Aunésia Aires de Moura, com quem teve quatro filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); INF. BIOG.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados