NASLAUSKY, MARCO CESAR MEIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NASLAUSKY, Marco César Meira
Nome Completo: NASLAUSKY, MARCO CESAR MEIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NASLAUSKY, MARCO CÉSAR MEIRA

NASLAUSKY, Marco César Meira

*diplomata; emb. Bras. Bolívia 1995-1998.

 

Marco César Meira Naslausky nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 18 de dezembro de 1940, filho de Jaime Naslausky e Danaiá Meira Naslausky.

Bacharel em direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, ingressou no Instituto Rio Branco em 1961. Nomeado terceiro-secretário em novembro de 1963 participou das negociações de bitributação com a Suécia, no Rio de Janeiro, em 1964 e com países da Europa Ocidental, com os EUA e com o Japão, entre 1965 e 1966. Promovido em novembro deste último ano a segundo-secretário, foi transferido no ano seguinte para Paris, França, onde permaneceu até 1970. Durante este período, foi encarregado dos assuntos relativos à Comunidade Econômica Européia (CEE) e representou o Brasil na Conferência Geral de Pesos e Medidas, em 1967.

Removido para Buenos Aires ainda naquele ano, foi promovido a primeiro-secretário em janeiro de 1973. Na capital argentina foi delegado da reunião do grupo de peritos do projeto A-4 de navegação e assessor na IV Conferência Interamericana de Ministros do Trabalho, ambas realizadas em 1972. Foi ainda assessor nas V, VI, VII e VIII reuniões de Chanceleres da Bacia do Prata, em Punta del Este (Uruguai), em 1972, em Buenos Aires, em 1974 e em Cochabamba (Bolívia), em 1975.

Diretor-secretário da Fundação Visconde de Cabo Frio em 1974, entidade previdenciária ligada ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), foi promovido a conselheiro em maio de 1975 e atuou como coordenador de planejamento administrativo e de programação financeira do MRE entre 1976 e 1978, e como coordenador de assuntos diplomáticos da Secretaria Geral do mesmo ministério, entre 1978 e 1979.

Ministro de segunda classe em junho de 1978, transferiu-se no ano seguinte para Nova Iorque, onde serviu na Organização dos Estados Americanos (OEA), e atuou diversas vezes como encarregado de negócios até 1983. Tendo permanecido nesta instituição até 1984, participou dos VII, VIII e IX períodos extraordinários de sessões de suas assembléias gerais ordinárias e das XVII, XVIII e XX reuniões de consulta de ministros das relações exteriores dos países membros, todas entre 1979 e 1982. Ainda naquela cidade norte-americana, foi delegado na XXXI reunião de comitê regional da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1979. Já em 1983, foi chefe das delegações brasileiras à XIV reunião ministerial do Conselho Interamericano para Educação, Ciência e Cultura (CIECC), em Kingston, Jamaica.

De volta ao Brasil, foi chefe do Departamento de Cooperação Científica, Técnica e Tecnológica (1984-1987), representante do MRE no conselho consultivo da Legião Brasileira de Assistência (LBA), em 1986, chefe do Departamento do Serviço Exterior (1987) e subsecretário-geral de Administração e de Comunicações (1987-1989).

Em 1990, assumiu, cumulativamente, as embaixadas brasileiras em Bruxelas, Bélgica, e em Luxemburgo, ocupando o cargo até 1992. Assumiu então o cargo de cônsul-geral em Nova Iorque, onde permaneceu até 1995. Em junho deste ano, tornou-se embaixador em La Paz, sucedendo a André Guimarães. Deixou a capital boliviana em agosto de 1998, tendo, em novembro seguinte, assumido a embaixada brasileira no Vaticano. Permaneceu como embaixador brasileiro no Vaticano até dezembro de 2000, sendo substituído por Agripino Maia Oto.

Em 2001, assumiu o cargo de diretor-geral da Agência Brasileira de Cooperação, o qual deixou para suceder a embaixadora Vera Pedrosa Martins de Almeida no comando da embaixada do Brasil na Dinamarca, em dezembro de 2003. Em junho de 2004, o Senado Federal aprovou o exercício cumulativo dos cargos de embaixador da Dinamarca e de embaixador junto à Lituânia. Foi substituído por Georges Lamazière, em julho de 2006. Em agosto do mesmo ano, assumiu a embaixada da Espanha.

Foi ainda chefe do Departamento de Cooperação Científica, Técnica e Tecnológica (DCT) do Ministério das Relações Exteriores.

Casou-se com Sandra Cattan Naslausky, com quem teve três filhos.

FONTES: Agência Senado (11/9/2003, 27/11/2003 e 4/7/2006); Jornal do Brasil (9/8/2003 e 14/12/2003); INF. Embaixada do Brasil em La Paz; MIN. REL. EXT. Anuário (1992); VATICANO Internet; SENADO Internet; EMBAIXADA DO BRASIL NA ESPANHA Internet; PORTAL DO MEC Internet.

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados