Nelson Marchezan Júnior

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MARCHEZAN JÚNIOR, Nelson
Nome Completo: Nelson Marchezan Júnior

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

MARCHEZAN JÚNIOR, Nelson 

*dep. fed. RS 2011-

 

Nelson Marchezan Júnior nasceu em Porto Alegre, no dia 30 de novembro de 1971, filho de Maria Helena Bolsson Marchezan e Nelson Marchezan, também  político gaúcho com cinco mandatos de deputado federal.

Formou-se em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS e cursou pós-graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas - FGV.

Filiou-se, em 2001, ao Partido da Social Democracia Brasileira - PSDB, pelo qual concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados já no ano seguinte. Obteve 61 mil votos, que seriam suficientes para lograr êxito, porém, teve a candidatura impugnada pelo Tribunal Superior Eleitoral, que não reconheceu seu registro ao PSDB e, consequentemente, a condição de representante do partido. Com o imbróglio, anulou-se os votos e foi necessário recalcular o quociente eleitoral.

Ocupou, a convite do então governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, cargo de diretor de Desenvolvimento e Agronegócios do Banco do Estado do Rio Grande do Sul – Banrisul, entre 2003 e 2006, ano no qual foi candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALERGS), obteve 45 mil votos e foi eleito. Empossado em Fevereiro seguinte, assumiu a condição de presidente da Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle daquela Casa.

Licenciou-se do mandato para disputar a Prefeitura de Porto Alegre nas eleições municipais de 2008.  Na ocasião do pleito, porém, foi apenas o sexto mais votado, com 22 mil votos. À época, o desempenho considerado abaixo das expectativas foi atribuído às crises pelas quais passavam o governo estadual, que tinha como mandatária a também tucana Yeda Crusius. De todo modo, em segundo turno disputado entre a petista Maria do Rosário e o então prefeito e candidato à reeleição José Fogaça, pelo PMDB, apoiou o segundo, que saiu vitorioso.

Retornou ao legislativo estadual, mas nas eleições seguintes, ocorridas em Outubro de 2010, voltou a pleitear uma cadeira de deputado federal. Desta vez, obteve mais de 90 mil votos e logrou êxito. Assim, encerrado mandato na ALERGS, pôde ser empossado na Câmara dos Deputados em Fevereiro seguinte. Assumiu a condição de vice-líder da Minoria da Casa e integrou, como titular, a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – CMADS – e a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática – CCTCI, da qual foi vice-presidente.

Casou-se com Nadine Dubal, com quem teve um filho.

 

FONTES: Portal da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Disponível em: <http://www2.al.rs.gov.br>. Acesso em 02/10/2015; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em: <http://www.camara.leg.br/>. Acesso em 28/10/2013; Portal pessoal do deputado. Disponível em: <http://www.marchezan.com.br/>. Acesso em 11/10/2013; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 11/10/2013; Portal do jornal Zero Hora. Disponível em: <http://www.zh.clicrbs.com.br/>. Acesso em 11/10/2013.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados