NEVES, LOURENCO BAETA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NEVES, Lourenço Baeta
Nome Completo: NEVES, LOURENCO BAETA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NEVES, LOURENÇO BAETA

NEVES, Lourenço Baeta

*dep. fed. prof. 1935-1937.

 

Lourenço Baeta Neves nasceu em Ouro Preto, então capital de Minas Gerais, no dia 22 de janeiro de 1876, filho de Lourenço Baeta Neves e de Maria Leonor Teixeira Baeta Neves.

Fez os primeiros estudos no Colégio Mineiro e em 1899 formou-se engenheiro civil e de minas pela Escola de Minas, em sua cidade natal. Ainda estudante, representou sua escola no II Congresso de Estradas de Rodagem, realizado em Campinas (SP).

Funcionário do estado de Minas Gerais, ocupou os cargos de engenheiro da Secretaria de Agricultura, diretor de Viação e Obras Públicas e da Rede de Viação Sul-Mineira. Ainda em Minas, foi engenheiro-chefe das obras especiais de Juiz de Fora e do saneamento de Barbacena e Caxambu, além de prefeito do município de Poços de Caldas. De 1910 a 1914 foi engenheiro-chefe e organizador da Comissão de Melhoramentos Municipais de Minas e dois anos depois tornou-se engenheiro-chefe do saneamento do estado da Paraíba e projetou as obras de remodelação sanitária da capital baiana. Em 1922 representou Minas Gerais no Congresso Nacional de Estradas de Rodagem. Contratado pelo governo federal, serviu como ajudante das obras contra a seca. De 1926 a 1930 ocupou o cargo de consultor técnico do governo mineiro e em maio de 1934 foi eleito presidente do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura da 4ª Região.

Fundador da Escola de Engenharia da Universidade de Minas Gerais, foi professor de hidráulica dessa instituição, além de lecionar interinamente astronomia, geodésia, navegação e outras matérias. Foi delegado do Brasil ao XVI e ao XVII congressos de Irrigação, bem como ao III Congresso de Dry Farming (agricultura em solos áridos), todos realizados nos Estados Unidos. Foi ainda o vice-presidente do IV Congresso de Dry Farming, também nos EUA, e secretário correspondente do Congresso Internacional de Dry Farming do Canadá. Membro da comissão organizadora do Código Florestal do Brasil, foi vice-presidente da Sociedade Mineira de Agricultura e do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais. Pertenceu ainda ao Clube de Engenharia, à Sociedade Mineira de Engenheiros e à New York Sewage Work Association.

Escolhido representante dos profissionais liberais, elegeu-se deputado federal classista. No exercício do mandato, foi presidente das Comissões de Educação e Cultura e do Plano Nacional de Educação. Foi ainda relator geral do projeto de remodelação do Ministério da Educação e membro da Comissão do Código de Minas. Ocupou a cadeira de maio de 1935 a 10 de novembro de 1937, quando o golpe que instaurou o Estado Novo levou à supressão dos órgãos legislativos do país.

Foi distinguido com o título de doutor honoris causa pela antiga Universidade do Brasil.

Faleceu em 24 de setembro de 1948.

Casou-se com Maria Virgínia Ferreira e Costa, com quem teve um filho.

Além de conferências, discursos e ensaios, especialmente sobre problemas técnicos, alguns em colaboração com Francisco Saturnino de Brito, publicou Higiene das cidades (1913).

FONTES: Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; CURRIC. BIOG.; Diário do Congresso Nacional; INF. Roberval Baeta Neves; VELHO SOBRINHO, J. Dic.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados