OLIVEIRA, RAUL REGIS DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: OLIVEIRA, Raul Régis de
Nome Completo: OLIVEIRA, RAUL REGIS DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
OLIVEIRA, RAUL RÉGIS DE

OLIVEIRA, Raul Régis de

*diplomata; emb. Bras. Inglaterra 1925-1939.

 

Raul Régis de Oliveira nasceu em Paris no dia 10 de outubro de 1874, filho do diplomata Francisco Régis de Oliveira, adido da embaixada brasileira na França, e de Amélia Régis de Oliveira. Seu pai foi embaixador na Inglaterra de 1905 a 1913 e, deslocado em seguida para Portugal, veio a falecer em Lisboa em 1915.

Raul Régis de Oliveira passou os primeiros anos de sua vida na capital francesa. Mais tarde, ingressou na Faculdade de Direito de São Paulo, diplomando-se em 1895. Iniciou sua carreira diplomática em janeiro do ano seguinte como adido da legação brasileira em Roma, onde permaneceu até 1897. Promovido a segundo-secretário, foi lotado em Washington a partir de abril de 1902 e transferido para Viena, então capital do Império Austro-Húngaro, um ano mais tarde. Serviu nessa cidade até julho de 1908, quando foi deslocado novamente para Roma, onde esteve até março do ano seguinte. Nesse mês, ascendeu à posição de primeiro-secretário.

De outubro de 1910 a abril de 1912, serviu em Lima como encarregado de negócios. Em março de 1913, foi promovido a ministro-residente e enviado para Havana, em Cuba, onde permaneceu até janeiro de 1916. Viajou então para Viena, regressando ao Brasil em maio desse ano.

Em janeiro de 1918, no governo de Venceslau Brás, foi nomeado pelo chanceler Nilo Peçanha subsecretário do Ministério das Relações Exteriores, conservando-se no cargo até abril de 1919, já no governo de Delfim Moreira. No final desse ano, após breve passagem por Paris, seguiu para Haia, na Holanda, como enviado extraordinário e ministro plenipotenciário. Promovido a embaixador em julho de 1922, foi então enviado a Genebra, na Suíça, como delegado do Brasil à III Assembléia da Liga das Nações. De fevereiro a outubro de 1923, esteve à frente da representação brasileira no México.

Sua missão seguinte foi a chefia da embaixada do Brasil em Londres, para onde foi designado em abril de 1925. Em fevereiro do ano seguinte viajou para Genebra a fim de colaborar com o embaixador Afrânio de Melo Franco no processo de negociações para a admissão do Brasil como membro permanente do conselho da Liga das Nações. A candidatura brasileira havia sido apresentada logo após a assinatura, em dezembro de 1925, do Tratado de Locarno, em que as grandes potências decidiram ampliar aquele conselho a fim de permitir o ingresso da Alemanha. O governo desse país, no entanto, se opôs à criação da outra vaga pretendida pelo Brasil, que, em represália, vetou a entrada da Alemanha no conselho. Em junho de 1926, o Brasil se retirou da Liga das Nações.

Junto com suas atividades diplomáticas, Régis de Oliveira representou o Instituto Histórico e Geográfico do Brasil em congressos de ciências históricas realizados em Veneza, na Itália, de 1929 a 1933, sendo eleito neste último ano vice-presidente da comissão permanente de história diplomática. Em junho de 1933, representou o Brasil na Conferência Monetária de Londres, que tentou estabelecer medidas de cooperação entre as nações para a recuperação da economia mundial, abalada pela crise de 1929. A conferência terminou em completo fracasso, servindo apenas, segundo escreveu Régis de Oliveira em relatório, para tornar claras as divergências entre principais potências do Ocidente.

Encerrou sua missão em Londres em dezembro de 1939, logo após o início da Segunda Guerra Mundial, aposentando-se do serviço diplomático.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 9 de julho de 1942.

Foi casado com Maria Georgina Araújo de Olinda Régis de Oliveira, com quem teve uma filha.

Paulo Brandi

 

 

FONTES: CONSULT. MAGALHÃES, B.; Globo (10/7/42); GUIMARÃES, A. Dic.; HILTON, S. Brasil e as grandes; LEITE, A. História; MIN. REL. EXT. Almanaque (1939); SILVA, R. Notas; VAMPRÉ, S. Memórias.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados