ONOFRE RODRIGUES CORREIA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CORREIA, Onofre
Nome Completo: ONOFRE RODRIGUES CORREIA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CORREIA, ONOFRE

CORREIA, Onofre

*const. 1987-1988; dep. fed. MA 1987-1991.

 

Onofre Rodrigues Correia nasceu em Raul Soares (MG) no dia 28 de setembro de 1949, filho de Álvaro Correia Parente e de Eurides Rodrigues Correia.

Industrial do setor de óleos vegetais e fazendeiro, em 1969 ingressou na Faculdade de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), bacharelando-se em 1973. No ano seguinte fez especialização em economia agrícola na Purdue University, em Indiana (EUA).

Transferindo-se para o Maranhão, ingressou na política em 1982 filiando-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Por essa legenda, e contando com o apoio do deputado Cid Carvalho, disputou o cargo de vice-prefeito de Imperatriz (MA), onde era fazendeiro e pecuarista, mas foi derrotado. No pleito de novembro de 1986 elegeu-se deputado federal pelo Maranhão, na legenda do PMDB. Assumiu sua cadeira na Câmara dos Deputados em 1º de fevereiro de 1987, quando foi instalada a Assembléia Nacional Constituinte (ANC). Tornou-se membro titular da Subcomissão de Ciência e Tecnologia e da Comunicação, da Comissão da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação, da qual foi primeiro-vice-presidente; e suplente da Subcomissão dos Estados, da Comissão da Organização do Estado.

Durante o período de elaboração da Constituição, votou a favor do mandato de cinco anos para o então presidente José Sarney, do rompimento de relações diplomáticas com países com política de discriminação racial, do mandado de segurança coletivo, da proteção ao emprego contra a demissão sem justa causa, da estatização do sistema financeiro, do limite de 12% ao ano para os juros reais e da limitação dos encargos da dívida externa. Votou contra o presidencialismo. Nessa fase, ganhou fama de “gazeteiro”, principalmente por ter sido alvo de grande mobilização por parte do então ministro das Comunicações, Antônio Carlos Magalhães, do Partido da Frente Liberal (PFL), para localizá-lo e conduzi-lo ao plenário a tempo de votar contra a criação do Conselho de Comunicação Social.

Após a promulgação da nova Carta, em 5 de outubro de 1988, passou a exercer somente o seu mandato ordinário. Deixando de concorrer à reeleição no pleito de outubro de 1990, permaneceu na Câmara dos Deputados até o fim de janeiro do ano seguinte, quando se encerraram o seu mandato e a legislatura, retomando, em seguida, suas atividades de industrial e fazendeiro.

Em 1º de dezembro de 2004, foi alvo de denúncias feitas pelo Grupo Móvel de Fiscalização do Ministério do Trabalho, devido às condições degradantes a que estavam submetidos 18 trabalhadores rurais encontrados em sua fazenda – alguns há mais de dez meses -, localizada no município de São Francisco Beltrão, no sul do Maranhão. O ex-deputado se pronunciou, declarando não possuir dinheiro para as rescisões trabalhistas e se recusou a registrar os trabalhadores.

Em 27 de fevereiro de 2006, defendeu em um blog na internet o debate sobre a criação do Maranhão do Sul, enviando também uma relação de tópicos a serem discutidos.

Foi também membro da Associação Comercial de Imperatriz e presidente do PMDB nessa cidade.

Casou-se com Lira de Sousa Lima Correia, com quem teve três filhos.

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Folha de S. Paulo (19/1/87); Globo (4/6/87); Jornal do Brasil (27/4/87, 22/2/90); Portal da Folha Online disponível em http://www1.folha.uol.com.br/(acesso em 30/09/09).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados