OSVALDO BARRETO DE ALMEIDA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALMEIDA, Osvaldo
Nome Completo: OSVALDO BARRETO DE ALMEIDA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ALMEIDA, OSVALDO

ALMEIDA, Osvaldo

*militar; const. 1987-1988; dep. fed. RJ 1987-1991.

 

Osvaldo Barreto de Almeida nasceu em Campos (RJ), no dia 22 de outubro de 1933, filho de Manuel de Almeida Ferreira e de Francisca Barreto de Almeida.

Iniciou a carreira militar em 1953, ingressando na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende (RJ). Segundo-tenente em 1956, serviu na cidade de Alegrete (RS) até o ano de 1957. Promovido a primeiro-tenente em 1958, cursou a Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro. Entre 1959 e 1961, foi transferido para a 17ª Cavalaria, em Pirassununga (SP). De volta ao Rio de Janeiro, em 1962, e designado para o 1º Batalhão de Carros de Combate, no ano seguinte foi promovido a capitão e transferido para a cidade natal, só retornando ao Rio de Janeiro em 1964, para servir no 1º Regimento de Cavalaria da Guarda. Em 1966 passou a integrar a Comissão de Desportos do Exército.

Retornou a Campos em 1969, sendo promovido a major em 1971. Professor de estudos de problemas brasileiros na Faculdade de Filosofia de Campos de 1972 a 1973, saiu do Exército em 1974.

Entre 1974 e 1978 fundou e presidiu a Cooperativa de Crédito dos Lavradores de Cana-de-Açúcar do Estado do Rio, a Associação Fluminense dos Plantadores de Cana e a Cooperativa Mista dos Plantadores de Cana do Estado do Rio de Janeiro.

Conhecido como major Almeida, no pleito de novembro de 1986 elegeu-se deputado federal constituinte na legenda do Partido Liberal (PL), sendo o segundo mais votado do partido graças ao apoio dos agricultores e plantadores de cana-de-açúcar do Norte Fluminense, especialmente de Campos e São João da Barra.

Titular da Subcomissão de Saúde, Seguridade e Meio Ambiente, da Comissão da Ordem Social, e integrante do chamado Centrão, bloco parlamentar de tendência conservadora, votou a favor da nacionalização do subsolo, do mandado de segurança coletivo, da pluralidade sindical e da legalização do jogo do bicho. E contra a pena de morte, a legalização do aborto, a limitação do direito de propriedade, a estatização do sistema financeiro, a limitação dos encargos da dívida externa, o voto facultativo aos 16 anos, o presidencialismo, a jornada semanal de 40 horas, o turno ininterrupto de seis horas, a estabilidade no emprego, o aviso prévio proporcional, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária, a desapropriação da propriedade produtiva e a anistia aos micro e pequenos empresários. Embora tenha assinado a emenda que previa um mandato de cinco anos para o então presidente José Sarney, absteve-se de votá-la no plenário.

Sem disputar a reeleição, retirou-se da Câmara dos Deputados ao término da legislatura, em janeiro de 1991, dedicando-se às atividades de empresário rural.

Osvaldo Almeida graduou-se pela Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Cândido Mendes e fez pós-graduação em economia na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro. Participou da Fundação Norte-Fluminense de Desenvolvimento Regional e foi fundador e presidente da Cooperativa Central dos Fornecedores de Cana do Brasil.

Casado com Maria José Ribeiro Gomes de Almeida, teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987); BELIDO, V. Política; COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; ENTREV. BIOG.; Globo (17/2/87); Jornal do Brasil (7/2/88).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados