OSVALDO MOURA BRASIL DO AMARAL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRASIL, Moura
Nome Completo: OSVALDO MOURA BRASIL DO AMARAL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRASIL, MOURA

BRASIL, Moura

*militar; dep. fed. DF 1951-1955; sen. DF 1955-1956.

 

Osvaldo Moura Brasil do Amaral nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 16 de setembro de 1904, filho de Tobias Correia do Amaral, que foi vereador e prefeito de Campo Maior (PI), e de Maria Teresa Moura Brasil do Amaral.

Diplomou-se pela Faculdade de Medicina de sua cidade natal, especializando-se em oftalmologia. Ingressou no Exército como primeiro-tenente-médico em 15 de outubro de 1930, em pleno curso da revolução que nove dias depois derrubou o presidente Washington Luís. Recebeu a patente de capitão em maio de 1937.

Iniciou-se na política candidatando-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados no pleito de dezembro de 1945, pela legenda do Partido Social Democrático (PSD), não obtendo êxito. Presidente do Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado (IPASE) no biênio 1946-1947, Moura Brasil foi eleito em janeiro desse ano para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro na legenda do PSD. Iniciou o mandato e tornou-se presidente da casa, sendo promovido a major em março de 1950. Eleito deputado federal pelo Distrito Federal na legenda do PSD em outubro desse ano, deixou a Câmara Municipal para assumir sua nova cadeira em fevereiro de 1951. No pleito de outubro de 1954, elegeu-se suplente do senador Gilberto Marinho, do PSD. Deixando a Câmara Federal em janeiro de 1955, exerceu mandato no Senado entre outubro de 1955 e fevereiro de 1956.

Em 1960 foi nomeado Secretário de Agricultura e Comércio do estado da Guanabara no governo de José Sete Câmara (1960).

Em sua vida profissional como oftalmologista, foi presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia e chefe dos Serviços Médicos Especializados do Exército, reformando-se como general R1, médico e membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia.

Faleceu no dia 23 de outubro de 1968, no Rio de Janeiro, vítima de enfarto.

Foi casado com Lúcia Macedo Soares, com quem teve duas filhas, e posteriormente com Roma Moura Brasil do Amaral, neta do general Inocêncio Serzedelo Correia, prefeito da cidade do Rio de Janeiro entre 1909 e 1910, com quem teve um filho.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos dep.; CISNEIROS, A. Parlamentares; INF. BIOG.; MACEDO, N. Aspectos; SENADO. Relação; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2 e 3).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados