OTAVIO PINHEIRO BRISOLLA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRISOLLA, Pinheiro
Nome Completo: OTAVIO PINHEIRO BRISOLLA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRISOLLA, PINHEIRO

BRISOLLA, Pinheiro

*jornalista; dep. fed. SP 1963 e 1964-1967.

 

Otávio Pinheiro Brisolla nasceu em Lençóis Paulistas, então Lençóis (SP), no dia 2 de setembro de 1892, filho de Otaviano Martins Brisolla e de Francisca Pinheiro Brisolla.

Cursou a Faculdade de Direito de São Paulo, pela qual se bacharelou em 1914. Ainda acadêmico, colaborou com os jornais A Tarde e O São Paulo, publicados na capital do estado.

Após formar-se, radicou-se em Bauru, no interior de São Paulo, onde passou a advogar e continuou as atividades jornalísticas, fundando em 1916 o semanário O Comércio de Bauru, que dirigiu até 1919. Também em 1916, ingressou na política local, elegendo-se vereador.

Vice-presidente da Câmara Municipal de Bauru em 1917, no ano seguinte elegeu-se prefeito do município, com mandato até 1921. Em 1924 ingressa no movimento revolucionário liderado pelo comandante Isidoro Dias Lopes, que visava derrubar o presidente da República Artur Bernardes — no bojo das revoltas tenentistas —, fugindo posteriormente para o Paraguai e depois para a Argentina. Residindo em Posadas, na província de Missiones, Pinheiro Brisolla torna-se jornalista e poeta. Retornando ao Brasil em 1927, no ano seguinte elegeu-se novamente vereador e, após a Revolução de 1930, foi nomeado, em 1931, chefe de gabinete do secretário de Viação de São Paulo, João Mendonça Lima, cargo em que permaneceu até o ano seguinte. Ainda em 1931, fundou o semanário Bauru Jornal, que dirigiu até 1932. Entre 1933 e 1934, dirigiu o Instituto Disciplinar da capital do estado.

Proprietário e diretor do Jornal do Interior de 1935 a 1943, voltou à política após a redemocratização do país com o fim do Estado Novo, elegendo-se em 1948 prefeito de Bauru e exercendo o mandato até 1951. Novamente eleito vereador em 1952, no mesmo ano assumiu a cátedra de direito penal da Faculdade de Direito de Bauru, função que exerceria durante 15 anos. Ocupou a presidência da Câmara Municipal entre 1954 e 1955, encerrando seu mandato de vereador neste último ano.

Filiado ao Partido Social Progressista (PSP), em outubro de 1962 obteve uma suplência de deputado federal por São Paulo na legenda da coligação do PSP com o Partido Social Democrático (PSD). Ocupou uma cadeira na Câmara de fevereiro a junho de 1963 e de 1º de abril de 1964 ao final da legislatura (31/1/1967).

Vice-líder do PSP na Câmara a partir de 6 de novembro de 1964, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se em 1966 à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Não candidatando-se à reeleição, deixou a Câmara no ano seguinte.

Faleceu em Bauru no dia 20 de outubro de 1970.

Foi casado com Mafalda Manfrinato Brisolla, com quem teve um filho, Marco Aurélio Pinheiro Brisolla, que foi vereador em Bauru entre 1964 e 1969 e novamente entre 1983 e 1989 e assessor de gabinete do prefeito deste município, Antônio Rizzo Filho, entre 1990 e 1992 e a partir de 1997.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros (1946-1967); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1963-1967); CÂM. DEP. Relação nominal; DEP. PESQ. ESTADO DE SÃO PAULO; INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (5).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados