PAIS, VALTER DE MENESES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PAIS, Válter de Meneses
Nome Completo: PAIS, VALTER DE MENESES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PAIS, VÁLTER DE MENESES

PAIS, Válter de Meneses

* militar; comte. IV Ex. 1972-1974; comte. ESG 1974-1976.

 

Válter de Meneses Pais nasceu em Aracaju no dia 2 de janeiro de 1911, filho de Alcebíades Correia Pais e de Consuelo Meneses Pais.

Estudou no Colégio Militar, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e em março de 1929 ingressou na Escola Militar do Realengo, sendo declarado aspirante-a-oficial da arma de infantaria em janeiro de 1932. Promovido a segundo-tenente em agosto do mesmo ano, cursou também a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, chegando a primeiro-tenente em outubro de 1933 e a capitão em maio de 1937. Nesse posto, em 1944 e1945, participou da campanha na Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira (FEB), na qual serviu como oficial de operações do 3º Batalhão do Regimento Sampaio. Terminado o conflito, regressou ao Brasil e ingressou na Escola de Estado-Maior do Exército, sendo promovido a major em junho de 1948, a tenente-coronel em julho de 1952 e a coronel em dezembro de 1957.

Em agosto de 1961, quando o presidente Jânio Quadros renunciou, era comandante do 2º Regimento de Infantaria, na Vila Militar do Rio de Janeiro. Deslocou-se então para o Sul do país na tentativa de impedir a posse do vice-presidente da República, João Goulart. Atuou posteriormente ao lado do general Humberto Castelo Branco no Estado-Maior do Exército, quando participou ativamente do movimento político-militar que, em março de 1964, depôs o presidente João Goulart. Em novembro desse ano foi promovido a general-de-brigada, alcançando o posto de general-de-divisão em março de 1968.

Ao longo desse período, foi ainda diretor de Aperfeiçoamento e Especialização e diretor-geral de Ensino do Ministério da Guerra, comandante do Colégio Militar do Rio de Janeiro e diretor do Serviço Militar, exercendo também as funções de comandante da 9ª Região Militar, com sede em Mato Grosso, de chefe da 2ª Seção do Estado-Maior do Exército e de chefe do estado-maior do IV Exército, sediado em Recife.

Em março de 1972 atingiu a patente de general-de-exército, sendo nomeado em junho seguinte comandante do IV Exército, em substituição ao general-de-exército Vicente de Paulo Dale Coutinho. Permaneceu nesse comando até março de 1974, no início do governo do general Ernesto Geisel, quando foi substituído pelo também general-de-exército Fritz de Azevedo Manso.

Em maio desse mesmo ano foi nomeado para o comando da Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro, em substituição ao brigadeiro Clóvis Labre, que exercia interinamente essa função desde março de 1974, após o afastamento do general João Bina Machado, que passara para a reserva. Em seu discurso de posse, declarou que trabalharia “para que não se obscurecesse a transcendente finalidade” da ESG de “ desenvolver e consolidar os conhecimentos necessários ao exercício das funções de direção e planejamento da segurança nacional, pois o essencial é que estejamos preparados para a suprema hora da ação que Deus poderá nos poupar”. Salientou também que a outra finalidade da escola é “buscar as análises dos diversos fatores que tangem a segurança nacional”. Durante seu comando deu continuidade aos estudos anteriores para a criação do curso de cinco anos de mestrado em estudos brasileiros, autorizado pelo Conselho Federal de Educação, em parecer solicitado em 1973 pela própria ESG. Em 15 de março de 1976 deixou o comando da ESG por haver atingido o tempo limite de quatro anos como general-de-exército, sendo transferido para a reserva dez dias depois.

Faleceu em 6 de novembro de 1992.

Viúvo de Carmina Malta de Meneses Pais, com quem teve duas filhas, era casado em segundas núpcias com Zuleica de Matos Meneses Pais.

 

FONTES: Jornal do Brasil (1/6/74, 25/2 e 6/3/76); MIN. GUERRA. Almanaque (1958); Veja (5/6/74).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados