PAUL-JACQUES FOUCHET

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FOUCHET, Paul
Nome Completo: PAUL-JACQUES FOUCHET

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FOUCHET, PAUL

FOUCHET, Paul

*diplomata francês; emb. França no Brasil 1972-1975.

Paul-Jacques Fouchet nasceu na França no dia 25 de janeiro de 1913.

Estudou no liceu Condorcet e na Faculdade de Direito de Paris, licenciando-se em letras e doutorando-se em direito.

Admitido por concurso como adido de consulado em 1938, serviu em Adis-Abeba, na Etiópia, desse ano a 1939. Convocado para a Segunda Guerra Mundial no período de 1939-1940, exerceu no ano seguinte as funções de terceiro-secretário em Ancara, na Turquia, atuando como adido de consulado junto à legação francesa em Bagdá, no Iraque, entre 1941 e 1942. Em agosto desse ano, retornou à administração central do Ministério das Relações Exteriores, demitindo-se quatro meses depois.

Servindo à Resistência francesa de 1942 a 1944, foi desligado do serviço diplomático pelo governo de Vichy em janeiro de 1943. No mês seguinte, novamente mobilizado, agora pelo governo francês no exílio, foi encarregado de missão na Secretaria das Relações Exteriores do comando-em-chefe francês civil e militar em Argel, na Argélia. Em novembro do mesmo ano, tornou-se chefe de seção no comissariado das Relações Exteriores. Designado para servir junto ao governo militar aliado na Itália entre 1943 e 1944, integrou a delegação francesa no Conselho Consultivo para os Assuntos Italianos de 1944 a 1945. Foi cônsul-adjunto em Milão, ainda na Itália, de 1945 a 1946 e chefe-adjunto do gabinete do ministro das Relações Exteriores de seu país entre este último ano e 1947.

De 1947 a 1949, esteve como primeiro-secretário em Nova Délhi, na Índia, atuando como conselheiro da delegação francesa junto à Comissão Especial das Nações Unidas para os Bálcãs de 1949 a 1950. Nomeado no ano seguinte primeiro-secretário em Atenas, na Grécia, ali permaneceu até 1952, sendo transferido em 1953 para o Colégio de Defesa da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), onde atuou como auditor de janeiro a julho. Neste último mês, foi encarregado de missão no gabinete do presidente do Conselho de Ministros de seu país e, de 1954 a 1959, desempenhou as funções de segundo-conselheiro em Viena, na Áustria.

Fouchet voltou a participar da administração central do Ministério das Relações Exteriores em janeiro daquele último ano na qualidade de subdiretor da área de assuntos técnicos e culturais, tornando-se chefe do Departamento de Cooperação Técnica entre 1959 e 1962. Nomeado embaixador extraordinário e plenipotenciário em Niamey, no Níger, de 1962 a 1964, em São Domingos, na República Dominicana de 1964 a 1966 e em Trípoli, na Líbia, entre este último ano e 1969, retornou ainda uma vez à administração central do Ministério das Relações Exteriores de 1969 a 1971, atuando então como adjunto do diretor-geral das relações culturais, científicas e técnicas.

Em janeiro de 1972, transferiu-se para o Brasil como embaixador extraordinário e plenipotenciário, permanecendo no país até maio de 1975. Em outubro desse ano, foi nomeado representante de seu país em Estocolmo, na Suécia.

FONTES: CORRESP. EMB. FRANÇA (1972); International who’s who (1969 e 1970); Jornal do Brasil (10/10/75).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados