PAVAN, LEONEL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PAVAN, Leonel
Nome Completo: PAVAN, LEONEL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

PAVAN, Leonel

*dep. fed. SC 1995-1996; sen. SC 2003-2006; gov. SC 2010

Leonel Arcângelo Pavan nasceu em Sarandi (RS) no dia 7 de setembro de 1954, filho de Rodesindo Pavan e de Rosina Carboni Pavan.

Ainda era criança quando a família mudou-se para Ponte Serrada (SC). Profissional na área de comércio, em 1980 formou-se técnico de contabilidade pelo Colégio Pedro Antônio Fayal, em Itajaí (SC). Em 1982, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), e em novembro desse ano elegeu-se vereador de Camboriú (SC). Assumiu o mandato em fevereiro de 1983, passando a integrar a Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Assistência Social. Em 1986, ingressou no Partido Democrático Trabalhista (PDT) e, no mesmo ano, presidiu a Comissão de Obras da Câmara Municipal. Em 1988, tornou-se primeiro-secretário da casa.

Em novembro de 1988, foi eleito prefeito de Camboriú na legenda pedetista, cargo que ocupou de janeiro de 1989 a dezembro de 1992.

Foi membro do diretório nacional do PDT de 1992 a 1994 e do diretório estadual entre 1993 e 1994. Em outubro do último ano elegeu-se deputado federal pelo PDT, com votos provenientes do município de Camboriú e do vale do Itajaí. Assumiu o mandato em fevereiro de 1995 e tornou-se membro das comissões de Orçamento e de Viação e Transportes.

Em 1995, votou contra as principais emendas constitucionais enviadas ao Congresso pelo governo Fernando Henrique Cardoso, como a abolição do monopólio estatal nas telecomunicações e na exploração do petróleo e o fim do monopólio dos governos estaduais na distribuição do gás canalizado. Manifestou-se igualmente contra a abertura da navegação de cabotagem às embarcações estrangeiras e a revisão do conceito de empresa nacional.

Em outubro de 1996, foi eleito novamente prefeito de Camboriú, cargo que assumiu em 1º de janeiro de 1997. Na ocasião, deixou a Câmara dos Deputados, tendo sido sua vaga ocupada por Orlando Krautler, também do PDT. Reelegeu-se em 2000. Durante o período em que esteve à frente da prefeitura de Camboriú investiu no setor turístico, transformando a cidade em um dos principais destinos turísticos do sul do Brasil.

Em abril de 2002, renunciou à prefeitura de Camboriú para concorrer ao Senado e filiou-se ao Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB). Em outubro desse último ano, foi eleito senador por Santa Catarina nessa legenda.

Assumiu o mandato de senador em fevereiro de 2003 e integrou como titular e suplente as principais comissões de trabalho do Senado, como a de Assuntos Econômicos, Educação, Serviços de Infraestrutura, Mista de Orçamento, Subcomissão do Fome Zero, Subcomissão de Cinema, Comunicação e Informática, além de integrar diversas frentes parlamentares em defesa da universidade pública e gratuita, do trânsito seguro, municipalista, de apoio à agropecuária, bem como integrou o Parlamento do Mercosul. Foi ainda o responsável pela criação da Subcomissão de Turismo, da qual foi presidente, e da Comissão Permanente de Desenvolvimento Regional e Turismo. No Senado, foi terceiro-vice-líder do PSDB entre 2003 e 2005 e segundo-vice-líder da agremiação entre 2005 e 2006.

Foi vice-presidente nacional do PSDB até novembro de 2005, coordenador do processo eleitoral e em 2006 assumiu o cargo de primeiro-secretário da executiva nacional.

No pleito de outubro de 2006, foi eleito vice-governador na chapa encabeçada por Luís Henrique da Silveira. Em dezembro, renunciou à vaga de senador e em seu lugar assumiu Neuto do Conto. Ainda nesse mês, foi absolvido pelo plenário do Supremo Tribunal Federal da acusação de contratar sem licitação advogados para a prefeitura de Camboriú enquanto era prefeito do município.

No dia 1° de janeiro de 2007, Leonel Pavan foi empossado vice-governador.

Em Março de 2010, em virtude da renúncia do então governador Luis Henrique da Silveira para concorrer ao Senado nas eleições de Outubro, foi empossado no Governo de Santa Catarina. Não foi candidato nas eleições de 2010 e, permaneceu no cargo até Dezembro daquele ano, quando foi sucedido por Raimundo Colombo, do DEM.

Presidente do PSDB estadual, não concorreu a cargo eletivo nas eleições municipais de Outubro de 2012.

Casou-se com Maria Bernardete Pavan, com quem teve dois filhos.

Publicou Permissão de uso e aterro em terras de Marinha (1991).

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Folha de S. Paulo (31/01/1995 e 14/01/1996); Portal BLF Consultoria. Disponível em: <www.blfconsultoria.com.br/>. Acesso em 31/10/2009; Portal do Fator Pavan nas eleições 2002. Disponível em: <www1.an.com.br/2001/jun/03/0pri.htm>. Acesso em 31/10/2009; Portal pessoal do dep. est. Leonel Pavan. Disponível em: <www.leonelpavan.com.br/perfil/index.cfm#>. Acesso em 31/10/2009; Portal do PSDB – SC. Disponível em: <www.psdb-sc.org.br>. Acesso em 31/10/2009; Portal do Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/>. Acesso em 17/02/2014.

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados