PEDRO IVO FIGUEIREDO DE CAMPOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CAMPOS, Pedro Ivo
Nome Completo: PEDRO IVO FIGUEIREDO DE CAMPOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CAMPOS, PEDRO IVO

CAMPOS, Pedro Ivo

*militar; dep. fed. SC 1971-1973 e 1979-1983; gov. SC 1987-1990.

 

Pedro Ivo Figueiredo de Campos nasceu em Florianópolis no dia 12 de outubro de 1930, filho de Emanuel Pereira de Campos e de Florisbela Figueiredo de Campos.

Fez os estudos primários no Grupo Escolar Silveira de Sousa, em Florianópolis, e concluiu o curso ginasial em 1946 no Colégio Catarinense, também na capital catarinense. Em seguida, matriculou-se na Escola Preparatória de Cadetes de Porto Alegre (RS), por onde sentou praça em maio de 1947. No ano seguinte, ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras, da qual saiu aspirante-a-oficial de infantaria em novembro de 1952. Segundo-tenente em julho de 1953, primeiro-tenente em junho de 1954 e capitão em agosto de 1957, foi mais tarde reformado na patente de coronel.

Administrador e corretor de imóveis, elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa de Santa Catarina em novembro de 1966, na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar, assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte. Vice-líder e depois líder da bancada do MDB na Assembléia, participou da elaboração da Constituição estadual de 1967 e foi ainda presidente do diretório municipal do partido em Joinville (SC) e do diretório regional catarinense.

Em 1968, candidatou-se à prefeitura de Joinville na legenda do MDB, tendo sido derrotado por 46 votos. Dois anos depois, no pleito de novembro de 1970, elegeu-se deputado federal por Santa Catarina com cerca de 40 mil votos.

Assumiu o mandato em fevereiro de 1971, tornando-se membro da Comissão de Desenvolvimento da Região Sul e vice-presidente da Comissão de Segurança Nacional da Câmara.

Em novembro de 1972, candidatou-se novamente à prefeitura de Joinville, contra três candidatos da Aliança Renovadora Nacional (Arena). Ainda assim, elegeu-se com 11 mil votos a mais que os três adversários reunidos. No final desse ano, concluiu o curso de administração na Faculdade de Economia do Centro Universitário de Brasília. Deixou a Câmara em 31 de janeiro de 1973 para assumir, no dia seguinte, a prefeitura conquistada.

Tendo concluído seu mandato na prefeitura de Joinville em 1977, em novembro de 1978, voltou a eleger-se deputado federal por Santa Catarina na legenda do MDB, assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte. Em 1979 foi o segundo vice-presidente da Comissão do Interior da Câmara e, no ano seguinte, durante a reformulação partidária que se seguiu à extinção do bipartidarismo, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), legenda oposicionista que deu continuidade à linha de atuação do MDB.

Em 1982, durante o exercício do mandato, foi vice-líder da bancada do PMDB na Câmara. Em novembro desse ano, disputou por esta legenda uma cadeira no Senado pelo estado de Santa Catarina, mas foi derrotado pelo candidato governista Jorge Bornhausen (1979-1982), do Partido Democrático Social (PDS).

Em 1985, durante o governo de José Sarney (1985-1990), foi nomeado presidente das Telecomunicações de Santa Catarina (Telesc), empresa subsidiária da Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebrás), à época presidida por Almir Vieira Dias. No início de 1986, deixou o cargo para lançar-se candidato, pelo PMDB, ao governo do estado.

No pleito de novembro daquele ano, marcado pela divisão das principais forças políticas de Santa Catarina, então representadas pelas candidaturas de Vílson Kleinübing, do Partido da Frente Liberal (PFL), e de Amílcar Gazaniga, do Partido Democrático Social (PDS), Pedro Ivo elegeu-se governador, tendo como vice o também peemedebista Casildo Maldaner. Ao longo de todo o seu mandato presidiu o diretório regional do partido.

Faleceu em Florianópolis no dia 27 de fevereiro de 1990. O vice-governador Casildo Maldaner foi efetivado no cargo.

Era casado com Marisa Lobo Campos, com quem teve quatro filhas.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. SC. Dicionário político; CABRAL, O. Breve; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1971-1975); COUTINHO, A. Brasil (1958); Estado de S. Paulo (10/8/82); Folha de S. Paulo (25/11/82; 17/8/86); KONDER, V. Antônio; NÉRI, S. 16; Perfil (1972 e 1980); Veja (15 e 29/11/72).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados