PERDIGAO, ARMANDO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PERDIGÃO, Armando
Nome Completo: PERDIGAO, ARMANDO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PERDIGÃO, ARMANDO

PERDIGÃO, Armando

*militar; min. STM 1965-1974.

 

Armando Perdigão nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 24 de março de 1907, filho de Frederico Perdigão e de Alda Perdigão.

Sentou praça em abril de 1924, ingressando na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, que o declarou aspirante-a-oficial da arma de aviação em janeiro de 1929.

Promovido a segundo-tenente em julho de 1929, foi destacado para São Paulo logo após a Revolução de 1930, quando, no Campo de Marte, formou com alguns sargentos e praças o Destacamento da Aviação de São Paulo. Primeiro-tenente em fevereiro de 1931 e capitão em junho de 1933, colaborou na organização e funcionamento do Correio Aéreo Militar, criado em 1931 e mais tarde incorporado ao Correio Aéreo Nacional (CAN).

Comandou o Parque Central da Aviação no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro, a partir de agosto de 1935, participando em novembro seguinte da repressão ao levante promovido pelo Partido Comunista Brasileiro, então Partido Comunista do Brasil (PCB), em nome da Aliança Nacional Libertadora (ANL) na Escola de Aviação Militar. Quando da eclosão do movimento, auxiliou o coronel Ivo Borges junto aos efetivos do 1º Regimento de Aviação e do Regimento Andrade Neves, participando da captura dos revoltosos e impedindo a ampliação da revolta. Deixou o comando do Parque Central da Aviação em novembro de 1936.

Promovido a major em setembro de 1938, foi transferido para o Ministério da Aeronáutica logo após a criação deste, em janeiro de 1941. Em março do ano seguinte chegou a tenente-coronel-aviador, passando a exercer o comando do 1º Regimento de Aviação da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em novembro de 1945. Em novembro do ano seguinte alcançou o posto de coronel-aviador, deixando o comando do 1º Regimento de Aviação em março de 1947. De janeiro a outubro de 1948 exerceu o comando da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro.

Promovido a brigadeiro-do-ar em fevereiro de 1955, passou a responder pelo Comando de Transporte Aéreo, tornando-se agregado em janeiro do ano seguinte, no início do governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Ascendeu ao posto de major-brigadeiro em setembro de 1960, deixando a condição de agregado em setembro de 1961, no início do governo de João Goulart (1961-1964), para readquiri-la em setembro do ano seguinte. Nomeado diretor-geral de Pessoal da Aeronáutica em 1964, um ano depois foi promovido a tenente-brigadeiro. Nomeado ministro do Superior Tribunal Militar (STM) por decreto do presidente Humberto Castelo Branco (1964-1967) de 17 de maio de 1965, ali tomou posse em 31 do mesmo mês, sendo eleito em março de 1969 presidente dessa corte para 1969-1970.

Durante sua vida militar exerceu ainda as funções de instrutor da Escola de Aviação Militar, de comandante da esquadrilha de treinamento do 1º Regimento de Aviação e de chefe da 2ª Divisão da Diretoria da Aeronáutica Militar, da Divisão de Material Aéreo da Diretoria de Material da Aeronáutica, do estado-maior da II e da III zonas aéreas, respectivamente sediadas em Recife e no Rio de Janeiro, e do núcleo de comando da Zona de Defesa Norte do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA). Comandante da III Zona Aérea e diretor do Depósito da Aeronáutica do Rio de Janeiro, foi ainda membro da Comissão de Altos Estudos e Planejamento e representante do Ministério da Aeronáutica junto à Comissão de Reparação de Guerra do Ministério das Relações Exteriores. Integrou também a Comissão de Promoção da Aeronáutica, o Conselho Superior de Aeronáutica e a Comissão de Revisão do Mérito Judiciário, além de haver presidido a Comissão de Revisão do Código de Justiça Militar.

Realizou os cursos da Escola de Aviação Militar, de aperfeiçoamento de oficiais da aviação, de estado-maior de aviação, na Air Staff Command and School, em Fort Leavenworth, nos EUA, da Escola Tática Aplicada das Forças do Exército Norte-Americano, em Orlando, na Flórida, também nos EUA, da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica e da Escola Superior de Guerra (ESG).

Faleceu em Brasília no dia 14 de agosto de 1974, em pleno exercício de suas funções no STM.

Era casado com Maria Cândida de Azevedo Perdigão.

 

 

FONTES: CORRESP. SUP. TRIB. MILITAR; COUTINHO, A.; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (15/8/74); MIN. AER. Almanaque (1963); Perfil (1972); SILVA, H. 1935; WANDERLEY, N. História.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados