PLACIDO ADERALDO CASTELO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CASTELO, Plácido
Nome Completo: PLACIDO ADERALDO CASTELO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CASTELO, PLÁCIDO

CASTELO, Plácido

*gov. CE 1967-1971.

 

Plácido Aderaldo Castelo nasceu em Mombaça (CE), no dia 11 de janeiro de 1906.

Bacharelou-se em direito em 1930.

Dedicando-se à política, candidatou-se em outubro de 1934 a deputado estadual na legenda da Liga Eleitoral Católica do Ceará, obtendo apenas uma suplência. Foi posteriormente prefeito municipal de Fortaleza, tendo estruturado, em colaboração com Ivo Familiar, as linhas básicas do Instituto de Previdência do Estado do Ceará, do qual viria a ser o primeiro presidente em exercício até 1944. Em dezembro do ano seguinte, foi eleito suplente de deputado pelo Ceará à Assembléia Nacional Constituinte na legenda do Partido Popular Sindicalista. Entre 1945 e 1950, foi procurador judicial do estado, e em outubro desse ano obteve nova suplência de deputado estadual, dessa vez na legenda do Partido Social Progressista (PSP). Nomeado secretário da Agricultura no governo de Raul Barbosa (1951-1955), ocupou o cargo de 1951 a 1954, e, no pleito de outubro desse ano, conseguiu afinal eleger-se deputado à Assembléia Legislativa do Ceará na legenda do PSP. Assumindo o mandato em fevereiro de 1955, alcançou em outubro de 1958 a primeira suplência de deputado estadual na legenda do mesmo partido e deixou a Assembléia em janeiro de 1959.

No pleito de outubro de 1962, reelegeu-se à Assembléia cearense na legenda do PSP. Assumiu o mandato em fevereiro de 1963, e, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao partido governista, a Aliança Renovadora Nacional (Arena).

Em setembro de 1966, por indicação do presidente da República, Humberto Castelo Branco, foi eleito pela Assembléia Legislativa estadual governador do Ceará. Sucedendo Virgílio Távora, assumiu o cargo em janeiro do ano seguinte. Durante sua gestão, foi construída a estrada do Algodão, que corta os principais municípios da região central do Ceará, criou o Instituto Penal Paulo Sarasate e consolidou o sistema de telefonia por microondas entre as principais cidades do estado. Deixando o governo em março de 1971, foi substituído por César Cals e não ocupou mais qualquer cargo público, permanecendo porém ligado à vida partidária e orientando seus correligionários em momentos de crise.

Fundador e primeiro diretor da Escola Normal Rural de Juazeiro do Norte (CE), foi ainda promotor público, ministro do Tribunal de Contas do Ceará, professor da Universidade Federal do estado e membro do Instituto do Ceará.

Faleceu em Fortaleza no dia 17 de junho de 1979, deixando 13 filhos.

Publicou Açudes, canais de irrigação, poços e outros serviços contra as secas (1936), O barão de São Leonardo (1942), Problemas agropecuários do Ceará (1957), História política do Ceará (1963) e História do ensino no Ceará (1970).

 

 

FONTES: Almanaque do Ceará (1955); GIRÃO, R. Ceará (1966); Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (18/6/79); SOUSA, M. Estudos; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3, 4 e 6).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados