PRA, VALTER DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PRÁ, Valter de
Nome Completo: PRA, VALTER DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PRÁ, VÁLTER DE

PRÁ, Valter de

*dep. fed. ES 1979-1983.

Válter de Prá nasceu em Cachoeiro do Itapemirim (ES) no dia 19 de abril de 1936, filho de Marcelino de Prá e de Laura Nespoli de Prá.

Iniciou sua carreira política em novembro de 1966, quando foi eleito prefeito de Nova Venécia (ES), na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, assumindo o cargo em fevereiro de 1967. Em 1968, representou os prefeitos capixabas no curso sobre administração municipal realizado em Berlim e promovido pela Fundação Alemã para os Países em Desenvolvimento.

Elegeu-se deputado estadual pela Arena no pleito de novembro de 1970. Deixou a prefeitura em janeiro de 1971 e em fevereiro ocupou sua cadeira na Assembléia Legislativa. Durante esse mandato integrou a Comissão de Justiça e passou a vice-líder do governo e da Arena na Assembléia.

Em 1973, bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Colatina (ES).

Reelegeu-se deputado estadual em novembro de 1974, pela mesma legenda, sendo empossado em fevereiro de 1975. Nesse ano, assumiu a liderança do governo e da Arena na Assembléia, tornando-se presidente regional do partido, cargo que exerceu até o final da legislatura. Durante esse segundo mandato, participou da Comissão de Justiça até 1977 e da Comissão de Educação e Saúde de 1977 a 1979.

Foi eleito deputado federal pelo estado do Espírito Santo no pleito de novembro de 1978. Empossado em março seguinte, integrou a Comissão de Constituição e Justiça nesse mesmo ano. Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação situacionista que sucedeu à Arena. Em 1980, participou da Comissão de Ciência e Tecnologia e em 1981 ocupou a vice-presidência dessa comissão. Nesse período, foi também suplente da Comissão de Segurança Nacional na Câmara dos Deputados.

Disputou a reeleição no pleito de novembro de 1982 pelo PDS, obtendo, contudo, apenas a segunda suplência. Deixou a Câmara em janeiro de 1983, ao final da legislatura, assumindo ainda nesse ano e até setembro de 1985 a diretoria administrativa da Companhia Docas do Espírito Santo. Em 1986, tornou-se diretor de exportação e mercado interno da Universal Timber Company, em Belém, função que exerceu até fevereiro de 1988.

Eleito prefeito de Nova Venécia (ES) no pleito de outubro de 1988, assumiu o cargo em janeiro do ano seguinte, concluindo o mandato em dezembro de 1992.

Em 1996, foi nomeado secretário executivo da Câmara Setorial do Corredor Centro-Leste, função que exerceu até o ano seguinte, quando se tornou secretário extraordinário dos interesses do Poder Executivo do Espírito Santo em Brasília, a convite do governador Vítor Buaiz, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Foi nomeado presidente da Companhia de Transporte Urbano da Grande Vitória (Ceturb), no dia 1º de julho de 1999, permanecendo por um breve período, até o dia 30 do mesmo mês.  No mesmo ano passou a integrar a diretoria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES). Atuou no Sebrae até 2008.

No pleito de 2002 candidatou-se ao cargo de deputado estadual pelo PFL, mas não obteve sucesso. Nas eleições municipais de outubro de 2004 voltou a se candidatar a prefeito de Nova Venécia, sempre pela legenda do PFL, sendo bem sucedido. Empossado no cargo em 1º de janeiro de 2005, ele desenvolveu, entre outros projetos, o de inclusão digital, denominado Educação.com. Em outubro de 2008, tentou a reeleição pelo recém-criado Partido dos Democratas (DEM), sucessor do PFL, mas não obteve êxito.

Ainda em 2008 recebeu uma homenagem da Assembléia Legislativa do Espírito Santo (ALES) durante as comemorações dos 134 anos da imigração italiana no Estado.

Ao longo de sua vida profissional foi também professor, serventuário da Justiça, tabelião e escrivão e representante do consulado italiano no Espírito Santo.

Casou-se com Edi Barreto de Prá, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); SEBRAE. Relatório de Gestão 2008; Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo. Notícias; Século Diário ( 02/2006).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados