PRADO, HAMILTON

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: PRADO, Hamilton
Nome Completo: PRADO, HAMILTON

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PRADO, HAMÍLTON

PRADO, Hamílton

*rev. 1932; dep. fed. SP 1955 e 1959-1971.

 

Hamílton Prado nasceu em Rio Claro (SP) no dia 27 de agosto de 1907, filho de Esperidião Prado e de Jordelina Prado, de tradicional família paulista.

Fez os primeiros estudos em sua cidade natal e o curso superior na Faculdade de Direito de São Paulo, na capital do estado, pela qual se bacharelou em dezembro de 1930.

Participou da Revolução Constitucionalista deflagrada contra o governo federal no dia 9 de julho de 1932 em São Paulo. Combateu, ao lado dos rebeldes, em várias frentes, mas foi preso e conduzido para a ilha Grande, no litoral fluminense, de onde se evadiu para reincorporar-se às tropas rebeldes, derrotadas definitivamente em outubro de 1932.

Dedicou-se em seguida ao exercício da advocacia até 1941, quando assumiu o cargo de diretor-vice-presidente da Companhia Antártica Paulista. Em 1948 foi indicado pelo setor industrial para integrar a comissão que, junto ao Itamarati, realizou estudos e trabalhos preparatórios para a Conferência Econômica de Buenos Aires. Ainda nesse ano, foi relator da comissão de desenvolvimento industrial da Comissão Mista Brasileiro-Americana de Estudos Econômicos, conhecida como Missão Abbink. Participando ainda da subcomissão de discriminação de capitais, levantou a necessidade de adoção de um critério diferencial no tratamento dos capitais estrangeiros no país. Deixou a comissão em 1949, ano em que participou da organização dos trabalhos técnicos da representação industrial de São Paulo à III Conferência Econômica das Classes Produtoras, realizada em Araxá (MG). Em novembro desse mesmo ano foi nomeado membro do conselho consultivo do Departamento de Produção Industrial da Secretaria do Trabalho, Indústria e Comércio do Estado de São Paulo. Em outubro de 1950 tornou-se membro do Conselho Nacional de Economia, onde teria assento até junho de 1953.

No pleito de outubro de 1954 candidatou-se a deputado federal por São Paulo na legenda da coligação do Partido Social Democrático (PSD), ao qual era filiado, com o Partido Republicano (PR). Conquistou a segunda suplência de seu partido, exercendo o mandato de abril a maio e de outubro a dezembro de 1955. Em outubro de 1958 voltou a concorrer à Câmara, desta vez na legenda da Aliança Popular Nacionalista, constituída pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e o Partido Trabalhista Nacional (PTN), para o qual se transferira. Eleito, foi empossado em fevereiro de 1959 e escolhido, em maio desse mesmo ano, vice-líder de seu partido na Câmara. No mês seguinte tornou-se também líder da maioria naquela casa e em 1961 passou a representar o PTN no bloco parlamentar constituído com o Partido Democrata Cristão (PDC), o PR e o PSD.

Na campanha pela reeleição em outubro de 1962, obteve o apoio da Aliança Eleitoral pela Família (Alef), associação civil de âmbito nacional criada naquele ano em substituição à Liga Eleitoral Católica (LEC) e que tinha como objetivo mobilizar o eleitorado católico em torno dos princípios sociais da Igreja. Reeleito na legenda da Coligação Janista, formada pelo PTN e o Movimento Trabalhista Renovador (MTR), passou a integrar a Ação Democrática Parlamentar (ADP), bloco interpartidário surgido no primeiro semestre de 1961 com o objetivo de combater a infiltração comunista na sociedade brasileira. A ADP, constituída basicamente de parlamentares da União Democrática Nacional (UDN) e, em segundo plano, do PSD e de outros partidos, fez oposição ao governo de João Goulart (1961-1964) e deixou de existir após a deposição do presidente e a ascensão dos militares ao poder em março de 1964. Em abril seguinte Hamílton Prado tornou-se novamente vice-líder do PTN na Câmara e em junho foi escolhido vice-líder do bloco parlamentar constituído pelo Partido Social Progressista, o PTN, o Partido Social Trabalhista, o PR, o MTR e o PDC.

Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior implantação do bipartidarismo, filiou-se ao partido governista, a Aliança Renovadora Nacional (Arena). Nessa legenda reelegeu-se deputado federal em novembro de 1966 e tentou renovar seu mandato em novembro de 1970, mas obteve apenas uma suplência e deixou a Câmara em janeiro de 1971.

Afastando-se do cenário político, retornou à diretoria da Companhia Antártica Paulista.

Pertenceu à Associação Comercial de São Paulo e ao Círculo Militar de São Paulo.

Faleceu em Ubatuba (SP) no dia 1º de janeiro de 1972.

Era casado com Margarida Theil Prado, com quem teve dois filhos.

Publicou O que é político, Como julgar os políticos, Legado das gerações, A inflação e outras causas da carestia da vida e Tributos e inflação.

 

FONTES: BULHÕES, O. Margem; CÂM. DEP. Anais (1961-1962); CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1963-1967 e 1967-1971); CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; COUTINHO, A. Brasil; Desenv. e Conjuntura (3/61); Eleitos; Estado de S. Paulo (23/9/62); INF. FAM. HAMÍLTON PRADO JÚNIOR; SOARES, E. Instituições; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (3, 4, 6 e 8); Who’s who in Brazil.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados