RAFAEL DE SOUSA AGUIAR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: AGUIAR, Rafael de Sousa
Nome Completo: RAFAEL DE SOUSA AGUIAR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
AGUIAR, RAFAEL DE SOUSA

AGUIAR, Rafael de Sousa

*militar; comte. Comdo. Mil. Planalto 1964; ch. Depto. Ger. Pess. Ex. 1964-1965; comte. IV Ex. 1967-1968; ch. Depto. Prov. Ger. Ex. 1968.

 

Rafael de Sousa Aguiar nasceu em 2 de junho de 1906, filho do general Francisco Marcelino de Sousa Aguiar e de Maria Gabriela de Sousa Aguiar. Seu pai foi prefeito do Distrito Federal de 1906 a 1909. Seus tios Antônio Geraldo de Sousa Aguiar e Feliciano Benjamin de Sousa Aguiar também alcançaram o generalato, tendo sido chefe do Estado-Maior do Exército, o primeiro, e comandante do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, o segundo.

Concluídos seus estudos militares, tornou-se aspirante em janeiro e segundo-tenente em agosto de 1928. Dois anos depois foi promovido ao posto de primeiro-tenente. No dia 24 de outubro de 1930 comandava a guarda do palácio Guanabara, residência oficial do presidente da República, quando ocorreu a deposição de Washington Luís, que selou a vitória da Revolução iniciada 21 dias antes nos estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraíba. Negando-se a aderir ao movimento, que então já contava com o apoio de altos chefes militares no Rio de Janeiro, foi preso pelo chefe da Casa Militar. Não obstante, permaneceu no serviço ativo do Exército, sendo promovido a capitão em fevereiro de 1933 e a major em outubro de 1942.

Nesse posto, integrou a Força Expedicionária Brasileira (FEB) que lutou na Itália entre 1944 e 1945 contra os países do Eixo, exercendo a chefia da seção de polícia da 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária.

Promovido a tenente-coronel em junho de 1946 e a coronel em janeiro de 1952, Rafael de Sousa Aguiar comandou o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, entre novembro de 1955 e dezembro de 1960. General-de-brigada a partir de julho de 1959, chefiou, entre 1961 e 1963, a 6ª Região Militar, sediada em Salvador. Em abril de 1964, logo após a deposição do presidente João Goulart, foi designado comandante do Comando Militar do Planalto, no Distrito Federal, função que exerceu até ser elevado à patente de general-de-divisão, em julho do mesmo ano. Passou então para a chefia do Departamento Geral de Pessoal do Exército, onde permaneceu até dezembro de 1965.

Em novembro de 1966 tornou-se general-de-exército, assumindo em agosto de 1967 o comando do IV Exército, sediado em Recife. Em maio de 1968 deixou esse posto, sendo designado para a chefia do Departamento de Provisão Geral do Exército. Pouco depois foi nomeado assessor militar da missão brasileira junto à Organização das Nações Unidas (ONU).

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 2 de janeiro de 1990.

Era casado com Marina Bayma de Sousa Aguiar.

 

FONTES: CONSULT. MAGALHÃES, B.; CORRESP. SECRET. GER. EXÉRC.; MIN. GUERRA. Almanaque (1967); Jornal do Brasil (3/1/90).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados