RAWSON, ARTURO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RAWSON, Arturo
Nome Completo: RAWSON, ARTURO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RAWSON, ARTURO

RAWSON, Arturo

*militar e diplomata argentino; emb. Argentina no Brasil 1943-1944.

 

Arturo Rawson nasceu em Santiago del Estero, na Argentina, no dia 4 de junho de 1884, filho de Franklin Rawson e de Juana Corvalán.

Ingressou no Colégio Militar em 1902, sendo promovido a subtenente em 1905, ano em que concluiu o curso. Participou da Campanha do Chaco sob as ordens do coronel Oddone até 1907, quando se tornou segundo-tenente. Em 1911 ascendeu ao posto de primeiro-tenente, exercendo a função de instrutor no Colégio Militar.

Promovido a capitão em 1916, cursou a Escola Superior de Guerra de 1918 a 1920, tornando-se major em 1922. Oficial do Estado-Maior do Exército argentino no período compreendido entre este último ano e 1925, ocupou em seguida o cargo de segundo-chefe do 7º Regimento de Cavalaria, à frente do qual se manteve até 1927. Tenente-coronel em 1928, foi oficial do estado-maior da 4ª Brigada de Cavalaria, adido militar à legação argentina na Bolívia e chefe da Divisão de Mobilização da Direção Geral de Administração.

Enquanto diretor da Escola de Cavalaria, entre 1931 e 1934, foi promovido a coronel em 1932. Comandante da 3ª Brigada de Cavalaria, com sede em Concórdia, na província de Entre Rios, foi chefe e diretor interino da Divisão de Mobilização da Direção Geral de Pessoal. Assumiu em 1938 o comando da 1ª Divisão de Cavalaria e, em 1939, foi promovido a general-de-brigada. Desse ano até 1942 chefiou a Direção Geral de Remonta do Exército e de 1942 a 1943 comandou a Cavalaria do Exército sendo então promovido a general-de-divisão.

Em 4 de junho deste último ano chefiou o movimento militar liderado pelo Grupo de Oficiais Unidos (GOU) que depôs o presidente da República Argentina, Ramón Castello. O GOU era integrado por oficiais de elite, treinados por técnicos militares alemães, entre os quais o então coronel Juan Domingo Perón, que viria a assumir a presidência da Argentina em 1946. Com o estabelecimento de uma ditadura provisória, após a queda de Castello, o general Rawson exerceu nos primeiros momentos a presidência da República. Em agosto seguinte, foi nomeado embaixador extraordinário e plenipotenciário no Brasil, assumindo o cargo em outubro de 1943, em substituição a Adrián Escobar. Renunciou ao cargo em fevereiro do ano seguinte, sendo substituído por Felipe Espil. Logo a seguir passou para a reserva.

Faleceu em Buenos Aires no dia 8 de outubro de 1952.

Era casado com Delia Borda, com quem teve sete filhos.

Além de colaborar nos diários La Nación e La Prensa, escreveu folhetos sobre a organização militar na Bolívia e publicou Argentina y Bolívia en la epopeya de la emancipación.

A cidade argentina de Rawson possui esse nome em sua homenagem.

 

FONTES: CORRESP. EMB. ARGENTINA; Grande encic. Delta; Quien.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados