RESENDE, TELMO DUTRA DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RESENDE, Telmo Dutra de
Nome Completo: RESENDE, TELMO DUTRA DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RESENDE, TELMO DUTRA DE

RESENDE, Telmo Dutra de

*militar; pres. Petrobras 1984-1985.

 

Telmo Dutra de Resende nasceu em Juiz de Fora (MG) no dia 26 de setembro de 1924, filho de Mariano Moreira de Resende e Orminda Morais de Resende.

Cursou o primário na escola pública José de Alencar e o ginasial no Colégio São Bento, ambos no Rio de Janeiro. Em 1943, ingressou na Escola Naval, onde fez os cursos preliminar de comando, comando e estado-maior, superior de guerra naval, todos na Escola de Guerra Naval (EGN). Alcançando o posto de guarda-marinha em 1946, foi promovido nos anos de 1957, 1964 e 1969 a oficial superior, por merecimento. Nesse posto, entre 1964-1974, integrou o Conselho de Segurança Nacional (CSN) durante os governos militares de Castelo Branco, Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici; foi instrutor da Escola de Guerra Naval nos anos de 1967 e 1969, oficial do Estado-Maior da Esquadra, tendo trabalhado no gabinete do ministro da Marinha. Foi ainda, subchefe do Gabinete Militar, no governo Emílio Garrastazu Médici (1969-1974), e exerceu o comando-em-chefe da Esquadra como subchefe do estado-maior e oficial de operações. Promovido a oficial-general em março de 1975, nesse posto, chefiou o Comando do Controle Naval do Tráfego Marítimo, foi controlador da Área Marítima do Atlântico Sul, ocupou as subchefias do Comando de Operações Navais e a do Estado-Maior da Armada. Pertenceu também ao Serviço Nacional de Informações (SNI), durante o governo do general Ernesto Geisel (1974-1979), e foi subordinado do general João Batista Figueiredo além de ter sido estagiário na Escola Superior de Guerra, onde se diplomou em 1977.

Em 26 de março de 1979, assumiu o cargo de diretor da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras), marcando o início de sua carreira na estatal. Em seguida, além de tornar-se membro do conselho de administração da companhia, desempenhou, ao longo dos anos, a função de conselheiro das subsidiárias Petrobras Internacional S.A. (Braspetro), Petrobras Distribuidora S.A. (BR), Petrobras Química S.A. (Petroquisa), Petrobras Fertilizantes (Petrofertil), Petrobras Comércio Internacional S.A. (Interbrás) e Petrobras Mineração S.A. (Petromin).

 Amigo pessoal do presidente João Figueiredo, quando ocupava a Diretoria de Transportes da Petrobras, foi empossado na presidência da empresa em 30 de agosto de 1984 pelo ministro das Minas e Energia, César Cals, no lugar de Shigeaki Ueki. Definiu como metas principais de sua administração o aumento da produção para seiscentos mil barris diários de petróleo em cinco meses, além da ampliação das reservas. Na área de transportes, afirmou que daria prioridade à contratação de seis navios nacionais na substituição de embarcações estrangeiras nas rotas pela costa brasileira, como determinava a Constituição. Prometeu cuidado maior com as questões de segurança nas atividades de rotina, referindo-se ao acidente da plataforma de Enchova, ocorrido no dia 16 de agosto na Bacia de Campos (RJ) e que causou a morte de 37 pessoas. Considerou bem intencionada a experiência da Paulipetro, empresa criada durante o governo estadual de Paulo Maluf, embora tenham sido aplicados cerca de quatrocentos milhões de dólares e não tenha dado certo. Quanto à candidatura de Maluf à presidência da República, garantiu que manteria a posição da Petrobras de “não se engajar em disputas políticas”.

Findo o governo Figueiredo, em março de 1985, transmitiu o cargo a Hélio Beltrão.

Atuou também em organizações internacionais como diretor da United Kingdom Mutual Steam Ship Assurance Association Limited e membro do International General Committee do Bureau Veritas e do Brazil Committee do Lloyd’s Register of Shipping.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 23 de fevereiro de 1989.

Era casado com Maria de Lurdes Dutra Resende, com quem teve um filho.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Globo (23/8/84); INF. comandante Luís Augusto Reis Barcelos; Jornal do Brasil (31/8/84 e 24/2/89).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados