RESENDE, ZAIRE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: RESENDE, Zaire
Nome Completo: RESENDE, ZAIRE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
RESENDE, ZAIRE

RESENDE, Zaire

*dep. fed. MG 1991-2000.

Zaire Resende nasceu em Uberlândia (MG), no dia 25 de dezembro de 1931, filho de João Resende e de Antônia da Silva Resende.

Concluiu o curso secundário em 1949 no Colégio São José no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e o superior em 1955, na Faculdade Nacional de Medicina, atual Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Militante do movimento estudantil e dirigente da Juventude Universitária Católica (JUC), fez parte do diretório acadêmico e integrou a diretoria da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Transferindo-se para São Paulo filiou-se em 1968 à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instaurado no país em abril de 1964, e em novembro daquele ano elegeu-se vereador na cidade de São Sebastião (SP). Empossado em fevereiro de 1969, ocupou a presidência (1969-1970) e a secretaria (1971-1972) da Câmara Municipal. Reeleito mais uma vez pela Arena em novembro de 1972, deixou o partido em 1976. Em janeiro de 1977, ao completar o segundo mandato de vereador, ingressou no Movimento Democrático Brasileiro (MDB), legenda de oposição ao regime militar.

Com o fim do bipartidarismo, em novembro de 1979, e a conseqüente reestruturação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), sucessor do MDB. De volta à cidade natal, elegeu-se prefeito de Uberlândia em novembro de 1982, mantendo-se no cargo até dezembro de 1988, graças à legislação que prorrogou por dois anos o mandato de todos os prefeitos do país.

Em outubro de 1990, pela legenda do PMDB, conquistou uma cadeira de deputado federal por Minas Gerais, tendo sido o candidato mais votado na região do Triângulo Mineiro. Integrante da comissão parlamentar de inquérito criada na Câmara para apurar denúncias de falcatruas que envolviam o palácio do Planalto, na sessão de 29 de setembro de 1992 votou a favor da abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial Paulo César Farias. Afastado da presidência logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, sendo efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde o dia 2 de outubro.

Ainda durante o ano de 1992 Zaire Resende representou o Brasil no Encontro Ibero-Americano em comemoração aos quinhentos anos da descoberta da América, em Barcelona, na Espanha.

Apesar de seu partido integrar a base de sustentação do governo Itamar Franco, durante o funcionamento do chamado Congresso revisor, de outubro de 1993 a maio de 1994, votou contra o a criação do Fundo Social de Emergência (FSE), que permitia ao governo gastar até 20% da arrecadação vinculada às áreas de educação e de saúde, e a favor do Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), criado para dotar o Ministério da Saúde de uma fonte adicional de verbas, e da emenda que previa o fim do voto obrigatório.

Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias, e terceiro vice-presidente da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, em outubro de 1994 reelegeu-se pela legenda do PMDB. Tomando posse em fevereiro de 1995, manteve-se como titular da Comissão de Trabalho.

Na reforma constitucional de 1995 opôs-se a quase todas as emendas propostas pelo governo Fernando Henrique Cardoso, votando a favor apenas da extinção do monopólio estatal no setor de distribuição de gás canalizado. Também apoiou a prorrogação do FSE, rebatizado como Fundo de Estabilização Fiscal (FEF).

Em julho de 1996 votou a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), fonte suplementar de recursos destinados à saúde. Em outubro, disputou pela segunda vez a prefeitura de Uberlândia, mas foi derrotado no segundo turno, em novembro, pelo candidato do Partido Progressista Brasileiro (PPB), Virgílio Galassi. Em 1997 opôs-se às emendas constitucionais que previam a reeleição de presidente da República, governadores e prefeitos, e o fim da estabilidade dos funcionários públicos.

Reelegeu-se deputado federal pela legenda do PMDB em outubro de 1998. Em novembro, votou contra o teto de 1.200 reais, para a aposentadoria dos servidores públicos, e os critérios de idade e tempo de contribuição, para os trabalhadores no setor privado. Iniciou o novo mandato na Câmara em fevereiro de 1999. Em 2000, votou contra a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal. Em outubro desse mesmo ano foi eleito prefeito de Uberlândia. Renunciou ao mandato de deputado federal em 31 de dezembro e no dia seguinte assumiu, pela segunda vez, a prefeitura de Uberlândia. Em 2004 tentou reeleger-se, contudo não logrou êxito.

No pleito de 2006 foi vice na chapa encabeçada por Nilmário Miranda ao governo de Minas Gerais, contudo foram derrotados, ainda no primeiro turno, por Aécio Neves que foi eleito com 77,03% dos votos válidos.

Diretor de hospitais em Uberlândia e São Sebastião, chefe de plantão da maternidade escola da UFRJ, médico da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e professor da Faculdade Sul Fluminense de Vassouras (RJ) e da Faculdade de Medicina de Taubaté (SP), Zaire Resende foi pecuarista e produtor rural.

Casado com Maria de Lurdes Lacerda Resende, teve oito filhos.

Luís Otávio de Sousa/Rogério de Barros

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Folha de S. Paulo (18/9/94, 14/1/96, 30/1/97, 5/2 e 6/11/98); Perfil parlamentar/ IstoÉ; TSE (Eleições 2004, 2006).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados