RITA ISABEL GOMES FURTADO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FURTADO, Rita
Nome Completo: RITA ISABEL GOMES FURTADO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
PEDRO, Erasmo Martins

FURTADO, Rita

* dep. fed. RO 1983-1991; const. 1987-1988.

 

Rita Isabel Gomes Furtado nasceu em Campos (RJ) no dia 6 de fevereiro de 1945, filha de José Ferreira Gomes e de Elsa Reis Ferreira Gomes.

Em 1970, graduou-se em letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e, posteriormente, em jornalismo – rádio, cinema e TV – pela Universidade de Brasília (UnB). Em 1976, transferiu-se para o Amazonas, tornando-se superintendente da Empresa Brasileira de Radiodifusão (Radiobrás) na região amazônica, exercendo o cargo até 1982.

No pleito de novembro desse ano, foi eleita deputada federal por Rondônia, na legenda do Partido Democrático Social (PDS). Assumindo o mandato no início do ano seguinte, participou dos trabalhos legislativos como segunda vice-presidente da Comissão de Redação, membro titular da Comissão de Educação e Cultura, da Comissão do Índio, e suplente da comissões de Saúde, de Comunicação e de Relações Exteriores.

Em 25 de abril de 1984, não compareceu à votação da emenda Dante de Oliveira, que, apresentada na Câmara dos Deputados, propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve o número de votos indispensáveis à sua aprovação – faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado Federal –, no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Rita Furtado votou no candidato oposicionista Tancredo Neves, eleito novo presidente da República pela Aliança Democrática, uma união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal. Contudo, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março desse ano.

No pleito de novembro de 1986, Rita Furtado foi reeleita deputada federal por Rondônia, na legenda do Partido da Frente Liberal (PFL). Assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte, quando se iniciaram os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte, foi membro titular da Subcomissão da Ciência e Tecnologia e da Comunicação, da Comissão da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação, e suplente da Subcomissão dos Direitos Políticos, dos Direitos Coletivos e Garantias, da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher.

Nas votações mais importantes na Constituinte, votou a favor da pena de morte, do presidencialismo e do mandato de cinco anos para o presidente José Sarney e manifestou-se contra a limitação do direito de propriedade privada, o mandado de segurança coletivo, a estabilidade no emprego, a remuneração 50% superior para o trabalho extra, a jornada semanal de 40 horas, o turno ininterrupto de seis horas, a pluralidade sindical, a nacionalização do subsolo, a estatização do sistema financeiro, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária e a desapropriação da propriedade produtiva. Após a promulgação da nova Constituição em 5 de outubro de 1988, voltou a participar dos trabalhos legislativos ordinários na Câmara dos Deputados.

No pleito de outubro de 1990, concorreu à reeleição, pela legenda do PFL, mas obteve apenas a segunda suplência. Deixou a Câmara em janeiro do ano seguinte, ao final da legislatura, passando a atuar nos meios de comunicação de rádio e televisão em Rondônia. Em março de 1995, saiu do PFL e ingressou no PMDB. No ano seguinte tornou-se apresentadora do programa Regra do jogo na TV Alamanda, retransmissora do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) em Rondônia.

Foi casada com Rômulo Vilar Furtado, que foi secretário-geral do Ministério das Comunicações durante o governo José Sarney (1985-1990), com quem teve duas filhas.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987-1988); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); COELHO, J.& OLIVEIRA, A.,  Nova.; Perfil parlamentar. Isto É/Senhor; Folha de São Paulo (19/1/87); Globo (26/4/84 e 16/1/85); INF. BIOG.

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados