ROCHA, DAMASO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ROCHA, Dâmaso
Nome Completo: ROCHA, DAMASO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ROCHA, DÂMASO

ROCHA, Dâmaso

*jornalista; rev.1930; const. 1946; dep. fed. RS 1946-1951.

 

Dâmaso Rocha nasceu em Porto Alegre no dia 11 de dezembro de 1909, filho do dentista e professor Olímpio Rocha e de Celina Vieira da Rocha.

Estudou humanidades no Ginásio Anchieta, dirigido pelos jesuítas. Participou do movimento revolucionário de 1930 e, em 1932, bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Porto Alegre.

Promotor de justiça em sua cidade natal, integrou a dissidência liberal que se manifestou contrária à decretação do Estado Novo em novembro de 1937. Em dezembro de 1945, com a redemocratização do país, elegeu-se deputado à Assembléia Nacional Constituinte (ANC) pelo Rio Grande do Sul na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Assumindo sua cadeira em fevereiro de 1946, pautou sua atuação parlamentar no combate ao Partido Comunista Brasileiro (PCB) e na oposição ao direito de greve, tendo apoiado as medidas repressivas adotadas pelo interventor federal Cilon Rosa (1946-1947) contra o movimento dos trabalhadores do Rio Grande do Sul. Tido como aliado do Partido da Representação Popular (PRP), chefiado pelo líder integralista Plínio Salgado, desmentiu as informações. Com a promulgação da nova Carta (18/9/1946), passou a exercer o mandato ordinário. Nessa legislatura foi presidente da Comissão Especial de Trigo e membro das comissões Permanente de Legislação Social e Especial de Imigração, Colonização e Naturalização da Câmara dos Deputados. Deixou essa casa ao final de seu mandato, em janeiro de 1951.

Jornalista, poeta modernista e crítico, fundou o seminário O Minuano e o jornal Correio da Noite, o qual também dirigiu. Foi ainda diretor do Jornal da Manhã, de A Nação e da Revista do Ministério Público. Dirigiu também a Caixa Econômica Federal (CEF) no Rio Grande do Sul.

Faleceu no dia 14 de outubro de 1963.

Era casado com Marina Velho Rocha.

Publicou O canto que eu ouvi (poesia, 1931), Festa da luz e da cor (poesia, 1933), O sistema penitenciário brasileiro, Sistema correcional russo, Menores abandonados e delinqüentes, Reforma penitenciária do Uruguai e Ternura.

 

FONTES: BRAGA, S. S. Quem.; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos dep.; Diário do Congresso Nacional; Grande encic. Delta; MELO, L. Subsídios; SILVA, G. Constituintes; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados