RUI BRITO DE OLIVEIRA PEDROSA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRITO, Rui
Nome Completo: RUI BRITO DE OLIVEIRA PEDROSA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRITO, RUI

BRITO, Rui

*pres. Contec 1965-1972; dep. fed. SP 1975-1979.

Rui Brito de Oliveira Pedrosa nasceu em Codajás (AM) no dia 13 de janeiro de 1931, filho de Francisco de Oliveira Pedrosa e de Eudócia Brito de Oliveira Pedrosa.

Fez o curso primário no Grupo Escolar Farias Brito e o secundário no Colégio Dom Bosco, ambos em Manaus. Ingressou no curso de ciências econômicas da Universidade Federal do Amazonas, que deixou em 1954, sem completar a graduação.

Bancário, foi eleito presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec), assumindo o cargo em outubro de 1965, em substituição a Aluísio Palhano Pedreira Ferreira (1963-1964), afastado em decorrência de uma intervenção federal efetuada logo após o movimento político-militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente João Goulart (1961-1964). Entre 1966 e 1969, Rui Brito foi suplente da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Em 1968, ingressou no Banco do Brasil em Manaus. Após três mandatos consecutivos na Contec, deixou o cargo em outubro de 1972, ano em que a entidade sofreu nova intervenção por parte do Ministério do Trabalho.

Em 1974, candidatou-se a deputado federal por São Paulo na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar, alcançando uma suplência. Convocado, assumiu o mandato na legislatura que se iniciou em janeiro de 1975. Em setembro, com a realização de novas eleições para a presidência da Contec, passou a presidência da entidade a Wilson Gomes de Moura (1975-1981). Aposentou-se no Banco do Brasil em 1977.

Em janeiro de 1978, denunciou em nota à imprensa estar sendo pressionado pela Polícia Federal em São Paulo em conseqüência de um informativo denominado Movimento operário, publicado sob sua responsabilidade e distribuído entre seus eleitores com o objetivo de esclarecer suas posições a respeito da situação do país.

Em novembro de 1978, candidatou-se à reeleição e, ainda obteve apenas uma suplência. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro do ano seguinte, ao final da legislatura.

Em 1981 foi fundador do Instituto de Promoção Social (Ipros), entidade que presidiria entre 1984 e 1991, e participou da 1ª Conferência Nacional das Classes Trabalhadoras (Conclat). Em 1984 tornou-se coordenador parlamentar do governo do Estado de São Paulo, na gestão de Franco Montoro (1983-1987), cargo que exerceria até 1986. Ainda em 1984 fundou a Coordenação Autônoma dos Trabalhadores (CAT), atual Central Autônoma dos Trabalhadores, tornando-se seu presidente de honra. Em 1989 tornou-se membro do comitê confederal da Confederação Mundial do Trabalho (CMT), com sede em Bruxelas, Bélgica, e assumiu a presidência do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), permanecendo neste cargo até 1991. Durante a década de 1980 foi também membro do Comitê Executivo da Central Latino-Americana dos Trabalhadores (CLAT), com sede em Caracas, Venezuela.

Casou-se com Ellen Hass de Oliveira Pedrosa, com quem teve três filhas.

Marcelo Costaatualização

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); CORRESP. CONF. NAC. TRAB. EMPRESAS DE CRÉDITO; INF. BIOG.; Jornal do Brasil (19/1/78); NÉRI, S. 16.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados