RUI GUILHERME PARATININGA BARATA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARATA, Rui Guilherme
Nome Completo: RUI GUILHERME PARATININGA BARATA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARATA, RUI GUILHERME

BARATA, Rui Guilherme

*dep. fed. PA 1957-1959.

 

Rui Guilherme Paratininga Barata nasceu em Santarém (PA) no dia 25 de junho de 1920, filho de Alarico Barata e de Maria José Paratininga Barata. Seu pai, advogado, foi membro do Conselho da Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA) e procurador fiscal do Pará.

Advogado, jornalista, historiador e professor, em Belém estudou nos Colégios Nazaré e Pais de Carvalho e cursou a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará, bacharelando-se em 1943.

Com o fim do Estado Novo (1937-1945) em 29 de outubro de 1945 e a conseqüente redemocratização do país, foram criados novos partidos políticos e elaborada uma nova Constituição, que veio a ser promulgada em 18 de setembro de 1946. Em 19 de janeiro do ano seguinte foram realizadas eleições para as assembléias legislativas e suplementares para o Senado. Rui Barata concorreu a uma cadeira de deputado estadual na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Eleito, foi empossado em maio seguinte.

Desligando-se do PSD, filiou-se ao Partido Social Progressista (PSP), liderado nacionalmente pelo ex-governador paulista Ademar de Barros (1947-1951). No pleito de outubro de 1950 foi reeleito na legenda da Coligação Democrática Paraense, formada, além do PSP, pela União Democrática Nacional (UDN), Partido Social Trabalhista (PST) e Partido Libertador (PL).

No pleito de outubro de 1954 concorreu a uma cadeira na Câmara dos Deputados, na legenda do PSP, conseguindo alcançar a primeira suplência. Com isso, deixou a Assembléia Legislativa do Pará em janeiro do ano seguinte, ocupando uma cadeira na Câmara dos Deputados somente no dia 22 de novembro de 1957.

No pleito de outubro de 1958 voltou a concorrer a uma cadeira de deputado estadual na legenda da Coligação Democrática Paraense, formada pelo PSP e pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), conseguindo apenas a oitava suplência. Terminando seu mandato de deputado federal em 31 de janeiro de 1959, ao final da legislatura, deixou a Câmara dos Deputados.

Passou então, a desenvolver intensa atividade cultural em seu estado. Professor de literatura da Universidade Federal do Pará, foi também poeta e compositor, tendo várias músicas de sucesso gravadas pela cantora Fafá de Belém.

Foi também procurador-geral do Estado do Pará.

Faleceu em São Paulo no dia 23 de abril de 1990.

Era casado com Norma Soares Barata, com quem teve quatro filhos.

Publicou Anjos dos abismos (poesias, 1943) e A linha imaginária (poesias, 1951).

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); Jornal do Brasil (24/4/90); Meneses, R. Dic.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3 e 4).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados