SALVIANO, Manuel

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SALVIANO, Manuel
Nome Completo: SALVIANO, Manuel

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
Mucio Sá DOSSIÊ

SALVIANO, Manoel

* dep. fed. CE 1999-

               

Manoel Salviano Sobrinho nasceu em Várzea Alegre (CE) no dia 18 de outubro de 1941, filho de Antonio Salviano Macedo e Leopoldina Maria Macedo.

Industrial e médico, bacharelou-se em medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora e cursou pós-graduações em cirurgia-geral, no Hospital do Servidor do Rio de Janeiro, e em administração hospitalar, no Hospital São Camilo, na cidade de São Paulo. Antes de ingressar na carreira política, atuou como diretor do Hospital Santo Inácio, no município cearense de Juazeiro do Norte, entre os anos de 1976 e 1982.

Em 1982, concorreu à prefeitura de Juazeiro do Norte, pela legenda do Partido Democrático Social (PDS), sendo eleito. Em 1983, ano no qual se filiou ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), tomou posse como prefeito, permanecendo no cargo até 1988. Em 1989, filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Nesse mesmo ano, assumiu a função de diretor da Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte, exercendo tal função até o ano seguinte.

No pleito de outubro de 1990, concorreu ao cargo de deputado estadual e obteve a maior votação do estado para a Assembléia Legislativa do Ceará (ALCE), com 36.640 votos. Em 1991, tomou posse de seu primeiro mandato de legislador, durante o qual assumiu a função de primeiro vice-presidente da Mesa da Câmara Legislativa.  Em 1992, na ocasião do pleito municipal, foi mais uma vez candidato à prefeitura de Juazeiro do Norte, sendo novamente eleito para gestão decorrida entre os anos de 1993 e 1996.

Nas eleições gerais de outubro de 1998, candidatou-se ao seu primeiro mandato como deputado federal, sendo eleito com 63.196 votos. Em fevereiro de 1999, tomou posse na Câmara dos Deputados. No ano seguinte, esteve na cidade alemã de Frankfurt, por ocasião do Encontro Internacional de Técnica Química, Proteção ao Meio Ambiente e Biotecnologia (ACHEMA 2000).

No decorrer de 2001, tornou-se membro de duas comissões especiais para projeto de emenda constitucional (PEC): uma sobre sistema financeiro, transformada em norma jurídica, e outra para instituir o Fundo Nacional Desenvolvimento Semi-Árido, em tramitação no Congresso. Nesse mesmo ano, viajou aos Estados Unidos como representante da Câmara na Missão Comercial de Medicamentos Genéricos.

No pleito eleitoral de outubro de 2002, concorreu à reeleição e foi votado por           70.828 eleitores, que lhe garantiram a suplência na Câmara dos Deputados. Em fevereiro de 2003, assumiu mandato como suplente. Em agosto, por ocasião da votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, votou a favor da proposta apresentada pelo Governo Luís Inácio Lula da Silva (2003-2007), aprovada em dois turnos no Congresso e encaminhada ao Senado Federal. Em dezembro, o então presidente do Senado, José Sarney (PMDB), promulgou a emenda constitucional que alterou o sistema previdenciário do país, especialmente quanto às regras relativas a aposentadorias e pensões, previdência complementar, paridade entre funcionários públicos ativos e inativos, e contribuição de estados e municípios.  

Ao longo dos anos de 2003 e 2004, atuou como suplente na Câmara, tendo sido efetivado no cargo de deputado federal em janeiro de 2005. Em março desse mesmo ano, tornou-se terceiro vice-presidente da comissão permanente de Fiscalização Financeira e Controle, além de titular da comissão de Finanças e Tributação. Nas eleições gerais realizadas em 2006, concorreu à nova gestão no Congresso, sendo eleito com 69.037 votos.

Em fevereiro de 2007, tomou posse do terceiro mandato na Câmara dos Deputados, onde foi escolhido membro da comissão permanente de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Entre setembro e outubro de 2007, votou a favor da proposta do governo, aprovada em dois turnos pela Câmara, mas não pelo Senado, de prorrogar a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Posteriormente, quando o tema CPMF voltou à Câmara com o nome Contribuição Social para a Saúde (CSS), votou contra a proposta, mas teve seu voto vencido pela maioria dos deputados, que aprovou a recriação do imposto.

Em outubro de 2008, concorreu novamente à prefeitura de Juazeiro do Norte, obtendo 31,95% dos votos válidos e sendo derrotado pelo candidato Dr. Santana, do Partido dos Trabalhadores (PT), eleito por 57, 92% dos eleitores.

Ao longo de sua trajetória no Congresso Nacional, Manoel Salviano também exerceu as funções de titular de comissões para PECs sobre recursos para ciência e tecnologia e sobre criação de datas e horários para a realização de concursos públicos, arquivada pela Câmara. Além disso, foi titular da comissão especial para Bacias Hidrográficas do Semi-Árido, integrou o grupo de trabalho (GT) Transposição do Rio São Francisco e atuou como membro das frentes parlamentares da Saúde e da Indústria Farmacêutica.

Casou-se com Fátima Maria Sampaio Rolim e teve três filhos.

 

Luciana Pinheiro

FONTES: Portal da Câmara dos Deputados (http://www2.camara.gov.br/; acessado em 15/06/2009); Portal G1 (http://g1.globo.com/; acessado em 16/06/2009); Portal do Jornal Folha de São Paulo (http://www.folha.uol.com.br/; acessado em 16/06/2009); Portal do Jornal O Povo (http://www.opovo.com.br/; acessado em 16/06/2009); Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (http://www.tre-ce.gov.br/; acessado em 15/06/2009).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados