SEBASTIAO AUGUSTO BARBOSA NETO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARBOSA NETO
Nome Completo: SEBASTIAO AUGUSTO BARBOSA NETO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BARBOSA NETO

*dep. fed. GO 1995-2007.

 

Sebastião Augusto Barbosa Neto nasceu em Goiânia no dia 3 de fevereiro de 1954, filho de Sebastião Augusto Barbosa Filho e de Mirna Maria Sadi Barbosa. Seu pai foi deputado estadual na legislatura de 1967-1971.

Ingressou na vida política em 1982 ao filiar-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), interrompendo o curso de direito na Faculdade Anhangüera. No ano seguinte tornou-se assessor especial do governo de Goiás, cargo que ocuparia até 1987. Em 1986, deixou pela segunda vez o curso de direito, desta vez na Universidade Católica de Goiás, assumindo no ano seguinte o cargo de secretário extraordinário municipal de Goiânia. Eleito vereador constituinte na legenda do PMDB em outubro de 1988, deixou o cargo de secretário extraordinário em janeiro de 1989, quando assumiu uma cadeira na Câmara Municipal de Goiânia.

Membro da executiva do diretório municipal do PMDB em 1989, foi também neste ano presidente da Comissão de Meio Ambiente e iniciou um período de dois anos como relator da lei orgânica. Em 1990 tornou-se líder da bancada de seu partido na Câmara Municipal de Goiânia. Eleito suplente de deputado estadual em outubro de 1990 para a legislatura 1991-1995, tomou posse e foi efetivado no dia 1º de fevereiro de 1991. Na Assembléia Legislativa de Goiás foi presidente da Comissão de Meio Ambiente no biênio 1991-1992. Neste último ano tornou-se líder da bancada do PMDB. Coordenador da campanha do PMDB nas eleições para a prefeitura de Goiânia de outubro de 1992, deixou a liderança da bancada e voltou a assumir no ano seguinte a função de membro da executiva regional de seu partido, tornando-se também presidente da Comissão de Serviço e Obras Públicas, onde permaneceu até 1995.

Eleito deputado federal no pleito de outubro de 1994, assumiu sua cadeira na Câmara dos Deputados em janeiro seguinte. Integrou a Comissão de Viação e Transportes e presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos medicamentos.

Entre as principais emendas constitucionais propostas pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em 1995, votou a favor da quebra do monopólio dos estados na distribuição de gás canalizado, da quebra do monopólio das embarcações nacionais na navegação de cabotagem, da mudança no conceito de empresa nacional, da quebra do monopólio estatal das telecomunicações e da quebra do monopólio da Petrobras na extração de petróleo.

Em junho de 1996 votou a favor da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), tributo de 0,2% sobre transações bancárias criado como fonte complementar de recursos para a saúde, em substituição ao Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF).

Em janeiro/fevereiro de 1997 esteve ausente da votação da emenda da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos. Em novembro, Barbosa Neto votou a favor da quebra da estabilidade do servidor público, item da reforma administrativa.

No pleito de outubro de 1998, foi reeleito na legenda do PMDB. Em novembro, apoiou o governo nas votações do teto de 1.200 reais para aposentadorias no setor público e do estabelecimento de idade mínima e tempo de contribuição para o setor privado, itens que definiram a reforma da Previdência. Assumiu novo mandato em fevereiro de 1999. De 2001 a 2003 ocupou na Câmara os cargos de vice-presidente e corregedor.

Em outubro de 2002, foi reeleito, agora na legenda do Partido Socialista Brasileiro (PSB), tendo sido o quinto mais votado. Iniciou o novo mandato em fevereiro de 2003.

            Candidatou-se ao governo de Goiás pela coligação formada pelo PSB e pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em outubro de 2006, mas não se elegeu. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 2007, ao final da legislatura.

            Foi presidente da Agência Goiana de Turismo (AGETUR), durante o governo de Alcides Rodrigues e em 2009 mantinha o cargo de presidente e de conselheiro da agência.

            Casou-se com Márcia Roriz Cruvinel Barbosa e teve três filhas.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999; 1999-2003; 2003-2007); Folha de S. Paulo (14/1/96, 30/1/97, 29/9 e 6/11/98); Portal da Assembléia Legislativa de Goiás disponível em http://www.assembleia.go.gov.br acesso em 20/9/09; Portal O Vermelho disponível em http://www.vermelho.org.br acesso em 20/9/09; Portal da Câmara dos Deputados http://www2.camara.gov.br/ acesso em 20/9/09; Portal G1 http://g1.globo.com/ acesso em 20/9/09; Portal governo de Goiás http://www.goiasec.com.br/ acesso em 20/9/09.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados