SEELOS, GEBHARD

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SEELOS, Gebhard
Nome Completo: SEELOS, GEBHARD

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SEELOS, GEBHARD

SEELOS, Gebhard

*diplomata alemão; emb. Alemanha Ocid. no Brasil 1962-1966.

Gebhard Seelos nasceu em Munique, na Alemanha, no dia 13 de março de 1901, filho de Hans Seelos, professor.

Fez um curso técnico-comercial e a partir de 1920 fez os cursos de ciências jurídicas e de ciências econômicas nas universidades de Munique e de Hamburgo, formando-se em 1924. No ano seguinte, doutorou-se em direito pela Universidade de Munique. Começou a trabalhar no Serviço de Relações Exteriores alemão em 1925, alcançando o título de doutor em jurisprudência no ano seguinte. Em 1927, ingressou na carreira diplomática através de exame consular e, foi transferido para Madri, onde serviu como terceiro-secretário até 1931. De 1931 a 1935, atuou como vice-cônsul em Sidney, na Austrália.

Removido para a Polônia, exerceu as funções de terceiro-secretário em Varsóvia de 1935 a 1937, ano em que retornou à Alemanha. Em 1939 foi transferido para Lemberg, atual Lvov, na União Soviética, onde atuou como cônsul até 1940. Removido, já em plena Segunda Guerra Mundial (1939-1945), para a Dinamarca, exerceu a função de conselheiro na embaixada em Copenhague até 1942. No ano seguinte atuou como intérprete junto às forças armadas. Em virtude de suas posições contrárias ao nazismo, foi demitido do serviço diplomático em 1944.

Com a derrota do nazismo e o fim da guerra, que resultou no fracionamento do território alemão, tornou-se procurador e deputado pela Baviera, bem como membro do diretório do Conselho dos Estados, em Stuttgart, funções que exerceria até 1947. Nesse ínterim, em 1946, foi nomeado conselheiro ministerial. De 1947 a 1949 representou a Baviera no Conselho Consultivo da “Bizone” (Zona Biopartite), supremo órgão do governo, sediado em Frankfurt am Main, e atuou como ministro plenipotenciário bávaro junto à Região Econômica Unida. Ainda em 1947, tornou-se diretor ministerial, com função de conselheiro de Estado.

Presidente da bancada do Partido Bávaro, elegeu-se deputado federal. Exerceu o mandato no Parlamento alemão de 1949 a 1951, quando renunciou, voltando ao serviço diplomático da Baviera para reassumir seu posto de diretor ministerial.

Designado para Istambul, na Turquia, lá permaneceu como cônsul-geral de 1953 a 1955, sendo transferido nessa data para Lisboa, no posto de embaixador. Em 1958 deixou a capital portuguesa e assumiu a embaixada alemã em Atenas, na Grécia, onde serviu até 1962. Em janeiro desse ano, chegou ao Brasil, para substituir o embaixador Herbert Dittmann. Permaneceu no posto até maio de 1966, quando foi substituído por Ehrenfried von Hoileben. Ainda em 1966, aposentou-se.

Faleceu em 18 de novembro de 1984.

Publicou Diplomacia moderna (1951).

FONTES: CORRESP. EMB. REP. FED. ALEMANHA; CORRESP. INST. LATINO-AMERICANO DESENV. ECON. SOC.; SOC BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; Who’s who in Germany.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados